Aventuras Maternas

Novos valores para 2015

abre-doacoes-de-brinquedos-1386794272623_687x500Desde que recebi o resultado do meu BetaHCG positivo fui imbuída do espírito da responsabilidade. Acredito que nós, mães, somos responsáveis pelo futuro do planeta, afinal somos nós e o restante da família próxima os desenvolvedores da personalidade dos nossos filhos, quem eles serão quando adultos e o que serão capazes de fazer pelo próximo e pelo mundo como um todo.

É claro que cada criança aprende de uma maneira, mas cabe a nós ensinar e estimular importantes valores, como: solidariedade, generosidade, honestidade, respeito ao próximo e bondade, que não devem ser colocados em prática apenas em datas festivas, mas no ano todo. 

Por aqui, por exemplo, de três em três meses, destino roupas e brinquedos para instituições de caridade e desde que meu filho tem seis meses mostro para ele os brinquedos que escolhi para dar e explico o que estou fazendo. É claro que ele não entendia antes, mas desde 2 anos tenho visto sinais de que o que estou cultivando está frutificando dentro dele. A primeira amostra aconteceu quando um pedreiro que estava fazendo obras em meu apartamento mencionou na frente dele que estava com saudades do filho, que não via há meses e não tinha dado nenhum brinquedo no aniversário dele. Fiquei emocionada quando o Theo correu a seu quarto e pegou um dos seus carros preferidos para dar para o pai do menino levar com um grande sorriso no rosto.

Desta vez, eu e a Sam resolvemos embarcar na causa de uma amiga que apadrinhou uma Instituição e levou todo tipo de doações para as crianças de lá. Estimulamos o Theo e o Arthur a escolherem seus brinquedos e doarem para as dezenas de crianças apoiadas. Nosso espanto foi ver o engajamento e disposição deles em ajudar. Chegamos lá com os brinquedos na hora da festinha preparada para a criançada e eles fizeram questão de colocar o melhor sorriso no rosto e entregar um por um os presentes que antes eram deles, nas mãos dos outros pequenos. Tem emoção maior do que ver que a semente do bem está germinando dentro dos seus filhos?

E quanto mais os anos passam, maior a nossa responsabilidade em cultivar valores intensos em nossos filhos. Para 2015 já pensamos em algumas metas e decidimos dividir com vocês. Quem sabe inspiramos ou recebemos inspirações do outro lado da tela também?

Crianças imitam o que vêem . Nossas pequenas atitudes diárias estimulam nossos filhos a repetí-las como certas. Exemplos do que podemos fazer: oferecer o seu lugar no ônibus a um idoso ou gestante, ajudar um vizinho com suas sacolas de supermercado, jogar o lixo na lixeira, devolver um troco que veio a mais são atos simples que ensinam bons valores. E vale explicar o que está sendo feito para eles absorverem o porquê de suas atitudes.

Tentar definir uma meta solidária, pelo menos uma vez por semana . Eles podem assumir uma tarefa em casa como tirar o lixo para fora ou regar as plantas ou ajudar os seus irmãos mais novos com os seus deveres ou outras atividades.

Participar de corridas, gincanas ou atividades ao ar livre feitas em grupo para compartilhar uma atividade saudável com os outros. Isso ajuda a entender o conceito de coletividade e a busca do grupo por um mesmo ideal.

Se forem viajar nas férias escolares para um local ao ar livre, como um sítio ou fazenda, pode comprar sementes de pequenas plantas para ensiná-lo sobre a natureza e sobre amadurecimento das coisas da vida como um todo.

Estimular a resolver os pequenos problemas do dia a dia. Crianças se frustram facilmente com coisas que nem percebemos. Ora querem comprar tudo que veem no mercado, ora querem nossa atenção quando estamos fazendo trabalhos domésticos e nossa primeira reação é brigar. A ideia agora é conversar com eles e tentar encontrar soluções para suas frustrações e não frustrá-los mais. Comprar uma pequena vassoura para ele “varrer o chão”de brincadeira enquanto fazemos a sério, pode ser uma ideia. Dar moedas para ele guardar no bolso quando formos ao mercado também. Explique que ele só pode comprar com aquela quantia e ele vai ter que fazer escolhas econômicas dentro de seus interesses.

Assumir nossos erros. É muito fácil mandar nossos filhos pedirem desculpas, mas quando erramos achamos que por hierarquia não precisamos assumir e isso demonstra para a criança que ele pode agir errado com uma criança mais nova, por exemplo. Não só se machucarmos eles, mas se esquecermos algo, agirmos bruscamente, formos injustos. Enfim, qualquer situação em que demonstrarmos uma atitude que não queremos que eles repitam. 

– Estimular cada pequena conquista deles. Uma palavra nova que eles aprendam, um desenho novo que ele façam, uma conclusão a que eles cheguem sozinhos. Tudo deve ser estimulado para que eles se animem por continuar querendo evoluir e nos deixar orgulhosos. Com isso também colaboramos para que eles sejam determinados a conquistarem cada vez mais para nos fazer sorrir novamente.

                                       

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *