Aventuras Maternas

Dicas para evitar e contornar acidentes nessas férias

acidente_domstico_2Quando se trata de crianças o cuidado nunca é o bastante. Nas férias então, basta uma fração de segundo e elas se metem em encrenca! Esse é o momento que elas estão em casa direto ou passeando, por isso o cuidado deve ser redobrado. Segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, a maioria das quedas até os 9 anos de idade, por exemplo, se deu no lar doce lar.

Por isso, selecionamos alguns exemplos de acidentes que podem ocorrer e o que fazer no caso de emergência.  Vale lembrar que os primeiros momentos de uma emergência com uma criança serão determinantes para lhe salvar a vida, e a melhor forma de resolver os problemas é prevenindo-os.

0_1ano_acidentesEntão veja as primeiras dicas:

– Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos.

– Não deixe cadeiras, camas e bancos perto de janelas, pois as crianças podem escalar e se debruçar. O mesmo vale para móveis baixos perto de estantes e armários altos.

– Instale portões de segurança no topo e pé das escadas. Se a escada for aberta, opte por redes ao longo dela.

– Cuidado com chão liso e tapetes. Não encere o piso e providencie antiderrapantes nos tapetes para evitar escorregões. Na maioria das quedas infantis atendidas nos postos do SUS, as crianças caíram do mesmo nível, ou seja, as quedas foram causadas por tropeções, pisadas em falso ou desequilíbrios.

– Oriente seu filho a brincar em locais seguros. Escadas, sacadas e lajes não são espaços de lazer.

– Crianças com menos de 6 anos não devem dormir em beliches. Se não houver outro local, instale grades de proteção nas laterais.

– O uso de andadores não é recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, pois pode comprometer o desenvolvimento e causar sérias quedas.

– Quando for trocar fralda, mantenha sempre uma mão segurando o bebê. Nunca deixe um bebê sozinho em mesas, cama e outros móveis, mesmo que seja por um instante.

– Proteja as tomadas com protetores específicos, baratos e facilmente encontrados em home centers, supermercados e lojas de produtos infantis. Além disso, oriente seu filho a não colocar o dedo na tomada, pois ele pode frequentar outros locais que não tenham a proteção. Cuidado: as queimaduras elétricas podem ser graves, expondo a criança ao risco de morte e seqüelas.

Não deixe o ferro de passar quente ao alcance da criança, mesmo que esteja desligado.

– Os cabos das panelas devem ficar virados para dentro do fogão.

– Use protetores nas portas para evitar que a criança prenda a mão ou dedos.

– Para uma criança se afogar, bastam 2,5 cm de profundidade. Cuidado, portanto, com água em baldes e tanques, além de vasos sanitários e piscinas sem proteção adequada.

1_5anos_acidentes– Teste a temperatura de alimentos líquidos e sólidos antes de oferecer à criança.

– Antes do banho, teste a temperatura da água da banheira com a parte interna do cotovelo.

– Nunca deixe remédios ao alcance das crianças, nem faça associação de medicamentos com balas e doces.

– Não coloque produtos de limpeza em embalagens de alimentos e refrigerantes. A criança pode confundir e ingerir. Evite também deixá-los na parte de baixo de pias e armários.

– Retire as plantas do chão, muitas delas são venenosas e contêm terra.

– Mantenha os utensílios elétricos, como os secadores de cabelo, desligados das tomadas.

– Encoste estantes altas, e outro tipo de mobília semelhante, na parede para que o bebê não as possa puxar para cima de si.

– Retire móbiles e brinquedos suspensos do berço.

– Os baús dos brinquedos devem estar sem tampa para que não possam machucar os dedos do bebê.

– Retire todos os cobertores e mantinhas desnecessários da cama ou berço do bebê.

– Certifique-se que os brinquedos de crianças mais velhas não estão disponíveis.

– Nunca coloque um berço perto de uma janela.

– No quarto do bebé tenha cortinas sem fios ou corte os fios para evitar o estrangulamento.

– Nunca use um berço antigo que não respeite as normas de segurança.

– Nunca deixe ratoeiras ou inseticidas em locais onde a criança possa encontrar.

– Certifique-se que a porta do forno está fechada.

– Instale uma tampa com segurança no vaso para que o bebê não consiga abrir.

– Mantenha os medicamentos, vitaminas e cosméticos em locais onde o bebê não alcance; de preferência num armário alto.

– Certifique-se que não existe forma alguma do seu bebê se trancar no banheiro sozinho.

– Mantenha os sabonetes e shampoos fora do alcance da criança – fechados num armário alto, ou com sistema à prova de abertura de crianças.

Principais acidentes:

Envenenamento

 Se suspeita de possível envenenamento, aja com calma, evite o pânico. Procure algum tipo de embalagem que contenha substâncias tóxicas e esteja atenta aos sinais de queimaduras na boca ou lábios, salivação excessiva, hálito estranho, náuseas ou vômitos, cãibras abdominais, irritabilidade, confusão mental ou inconsciência. Se a criança já compreender, peça-lhe para cuspir e guarde essa amostra para entregar no hospital, para averiguar qual a substância, caso não tenha conseguido encontrar a embalagem. Trate de levar quanto antes a criança para o hospital, bem como a embalagem da qual ela ingeriu. Não force o vômito na criança nem dê nada para beber, nem mesmo água ou leite.

 Queimaduras

 As queimaduras podem ser em vários graus:

  • Queimaduras em primeiro grau: a pele fica avermelhada.
  • Queimaduras em segundo grau: a pele fica vermelha e ganha bolha.
  • Queimaduras em terceiro grau: a pele fica queimada num nível mais profundo e fica negra.
  • Queimaduras em quarto grau: perda total da estrutura e da função morfológica.

Apenas as queimaduras de primeiro grau devem ser tratadas em casa. Primeiro a área deve ser resfriada imediatamente. Coloque a lesão em água fria durante 10 minutos. Não aplique gelo, porque pode destruir a pele que já está frágil. Também não deve aplicar pasta de dente, manteiga ou qualquer tipo de produto gorduroso, porque a gordura atua como barreira, não deixando o calor sair, quando deve acontecer o oposto. Depois de resfriar a pele, cubra a área com uma compressa esterilizada. Trate a dor com paracetamol, ou com outro medicamento receitado pelo médico. As queimaduras elétricas e químicas podem parecer menos importantes, mas devem ser vistas por um médico depois de resfriadas.

Quedas

Cheque a respiração, os batimentos cardíacos e seu nível de consciência (se ela está acordada, se fica desorientada). Se ela ficar mais lenta, letárgica, sonolenta, com olhos semicerrados, é preciso correr ao hospital e fazer uma tomografia – lembre-se de que a radiografia só diagnostica as fraturas ósseas. Se a criança apresentar vômitos ou dor de cabeça nos momentos posteriores à queda, também é a hora de procurar um médico.

Mas se seu filho não apresentou nenhum desses sintomas, apenas a dor característica da queda, fazer uso de gelo e mantê-lo sob observação pelos próximos dias é o suficiente.

Se a queda provocou ferimentos, apenas lave o local machucado com água e sabão e, no máximo, aplique um antisséptico até chegar ao hospital, caso ela precise levar pontos.

Fraturas de ossos

Qualquer osso que tenha sofrido uma fratura deve ser imobilizado usando uma tala. Use qualquer coisa disponível, nem que seja um jornal ou revista enrolada. Imobilize o membro que sofreu a fratura contra uma superfície dura e depois aplique a tala. Aplique um saco de gelo para reduzir o inchaço, e nunca tente mexer o osso! Se ocorrer algum sangramento deve ficar parado, fazendo pressão firme. Nunca mova uma criança que suspeite ter um osso quebrado, chame antes uma ambulância.

Cortes, arranhões e mordidas

Para parar uma hemorragia desta natureza, será necessário o uso de uma compressa esterilizada. Depois deve limpar a área com sabão e água, secar com gaze esterilizada, aplicar uma pomada antibacteriana e revestir com uma atadura esterilizada. Se a pele não estiver sangrando, aplique gelo para reduzir o inchaço. Se ocorrer algum sinal de infecção, sangramento excessivo ou um corte profundo deve-se levar a criança ao hospital.

Sangramento do nariz

As hemorragias que ocorrem no nariz são normalmente resultantes da secura das cavidades nasais. Ao utilizar um umidificador pode diminuir o problema. Se uma criança sangrar pelo nariz, incline-lhe a cabeça para frente para evitar engasgamento. Se a criança compreender, peça-lhe para respirar apenas pela boca. Aperte levemente a parte do tecido mole do nariz com o polegar e dois dedos, fechando as narinas. Segure pelo menos durante 10 minutos. Se a hemorragia não parar, segure por mais 20 a 30 minutos, verificando a cada 5 minutos. Se a hemorragia durar mais do que 30 minutos e for abundante deve levar a criança ao médico.

Emergência dentária

Acidentes com os dentes de um bebê podem afetar o crescimento natural e o desenvolvimento dos dentes permanentes. Por isso, é importante agir rapidamente quando um dente sofre algum acidente. Primeiro, pare qualquer tipo de hemorragia, usando uma compressa de gaze esterilizada, e pressionando o local. Depois, localize o dente partido ou a raiz do dente. Se for um dente parcialmente lesionado, faça uma pressão suave voltando a empurrá-lo para a zona da raiz. Se estiver sem ligação à raiz, pegue no dente pelo esmalte, limpe alguma impureza, mas não limpe nenhum tecido que ainda esteja ligado. Coloque o dente em leite frio, e leve a criança a um dentista imediatamente.

Asfixia

Nunca tente tirar o objeto com os dedos, a não ser que seja fácil de se extrair. Se trata de uma criança muito pequena, pegue pelos pés, de cabeça para baixo e dê um tapa nas costas na altura dos ombros. Se, apesar de tudo não sair o objeto, leve-o urgentemente a um hospital.  Em caso de uma criança de mais idade, leve-a diretamente ao médico. 

Descarga elétrica

Antes de tudo, desconecte a corrente com o interruptor ou tente retirar o acidentado utilizando objetos isolantes, como madeira, borracha, exceto em casos de alta tensão. Nunca tente fazer isso tocando-o com suas mãos diretamente, porque poderia também sofrer uma descarga. Se não respira, faça respiração boca a boca, e se há parada cardíaca, tente realizar uma massagem cardíaca, até que o médico chegue.

Veja como agir em caso de acidente durante as férias (Fonte: Rev. Pais e Filhos):

Febre

O que levar: Termômetro e antitérmico.

O que fazer: Se a temperatura é superior a 37,8º. C, dê a medicação. É importante deixar a criança com roupa adequada para a temperatura ambiente, oferecer bastante água e não esperar que ela coma no período em que estiver febril. Mas se a febre não baixar com o remédio e aparecerem outros sintomas, vá ao pronto-socorro.

Queimadura de Sol

O que levar: Hidratante infantil e – como prevenir é melhor do que remediar – protetor solar infantil e a memória para lembrar de reaplicá-lo a cada duas horas.

O que fazer: Se a criança sente muita dor, dê o antitérmico. É possível fazer compressa com soro fisiológico, mas o hidratante costuma resolver. Se aparecerem bolhas, não estoure e procure um médico. Não exponha a criança ao sol até melhorar.

Engasgo

O que levar: Atenção, muita calma e instruções do pediatra de como agir.

O que fazer: Não vire nunca a criança de cabeça para baixo e nem enfie o dedo na garganta sem saber a que o fez engasgar e em que profundidade está. Se ela está tossindo, apenas acompanhe e incentive. Só interfira se a criança tossir sem som, com dificuldade de respirar ou perder os sentidos. Nesses casos, primeiro grite para que alguém chame a emergência. Depois olhe pela boca para avaliar se o objeto é visível e pode ser retirado. Se estiver inconsciente e for menor de 2 anos, os pais devem fazer compressões torácicas, repetindo a manobra até que ela respire ou chegue ajuda. Se a criança for maior de 2 anos e estiver consciente, os pais devem abraçá-la por trás (com os braços sob as axilas) e posicionar as mãos entrelaçadas logo abaixo das costelas. A ação consiste em pequenos golpes (trancos firmes) para que o objeto saia.

Corte

O que levar: Sabonete e solução iodada, que é cicatrizante.

O que fazer: Lavar bem a ferida com água e sabão e pressionar para estancar o sangue com uma gaze. Se o sangramento continuar, ou as bordas do machucado estiverem afastadas, pode ser que precise de ponto. Certifique-se também de que não há nenhuma farpa na ferida e se o corte foi com vidro ou metal. Cheque ainda se a vacina antitetânica do seu filho está válida. Se o primeiro atendimento for feito corretamente, a ferida pode ser suturada até seis horas depois do acidente. Por isso, os primeiros cuidados são importantes para que volte com calma da praia ou da fazenda e leve seu filho ao hospital. Mas, atenção! Depois dessas seis horas, não é mais possível dar pontos, pois há risco de infeccionar o local

Queimadura de fogo

O que levar: Remédio para dor, soro fisiológico e hidratante.

O que fazer: Não passar nenhum tipo de pomada e muito menos pasta de dente. O correto é hidratar, e isso pode ser feito até com óleo de cozinha. Não estoure as bolhas, e se a criança estiver com muita dor dê o analgésico indicado pelo pediatra.

Vômito

O que levar: Antiemético.

O que fazer: O risco do vômito é a desidratação, por isso ofereça líquido várias vezes em doses pequenas e não force a criança a comer. Se de 30 a 40 minutos depois de dado o medicamento ela vomitar mais vezes, entre em contato com o médico. Só ofereça líquido em maiores quantidades e alimentos depois de 40 minutos que a criança estiver sem vomitar.

Fratura

O que levar: Paciência para não tentar colocar nada no lugar, porque além de ser doloroso pode romper vasos.

O que fazer: Se a criança caiu ou bateu com força e sente dor vá direto para um pronto-socorro.

Mordida de inseto

O que levar: Antialérgico e pomada receitada pelo seu médico.

O que fazer: Verifique se o ferrão ficou na pele e retire com pinça. Passe a pomada para coceira se assim foi indicado pelo pediatra antecipadamente e dê o antialérgico.

Dor de garganta

O que levar: Analgésico e spray de mel com própolis.

O que fazer: No início de resfriados a garganta fica vermelha e dói para engolir. Nesses casos use a medicação para dor e spray de mel e própolis. Mas se a dor vier acompanhada de febre é preciso procurar atendimento médico. Até passar totalmente nada de brincar na água.

Diarréia

O que levar: Soro de hidratação oral.

O que fazer: As diarréias de férias têm geralmente origem alimentar, mas também podem ser por causa de infecção ou vírus. Estas persistem por vários dias. Os medicamentos antidiarréicos são contra-indicados para crianças, por isso não há como reverter o quadro. O risco é desidratação, então dê o soro oral aos poucos a cada evacuação. Não force alimentação e evite alimentos gordurosos. Se a diarréia persistir, procure um médico.

Mordida de cobra, cachorro e outros bichos

O que levar: O cuidado de não expor a criança a situações de risco.

O que fazer: Procurar um médico imediatamente. No caso da cobra é importante levar o bicho para ser identificado. Do cachorro, se informe com o dono se é vacinado e está saudável, mas mantenha-o sob observação por dez dias, se ele adoecer, sumir ou morrer é indicado tomar vacina e soro anti-rábico. Se a mordida for de gato, macaco, roedores ou de um cachorro desconhecido consulte rapidamente um médico para saber se é necessário vacina e soro. Lave o local com água e sabão e não passe substâncias coloridas, para poder observar se a ferida inflama.

Dor de ouvido

O que levar: Analgésico e antitérmico.

O que fazer: Não pingue álcool e nenhum tipo de remédio sem orientação do pediatra. A otite externa é comum por causa da piscina e do mar. Geralmente ela melhora com compressas (toalha passada a ferro ou bolsa térmica), paciência e remédio para dor. Se a criança não melhorar, vá para o pronto-socorro. Até que não haja mais dor a programação deve passar longe da piscina e do mar.

Insolação

O que levar: Muito líquido para não deixar que a criança chegue a esse estágio e cuidados com os horários de exposição ao sol.

O que fazer: Se a criança está com letargia progressiva, sede intensa, olhos profundos e sem brilho, dor de cabeça e vômito vá correndo para o hospital pedindo perdão por não ter dado líquido suficiente para ela se manter hidratada. Só faça o soro caseiro se não houver como ir a um pronto-socorro e se tiver certeza absoluta de que sabe prepará-lo. Em dose errada de açúcar ou sal ele é pior do que não dar nada.

Alergia

O que levar: Antialérgico.

O que fazer: Se for possível identificar o que causou a alergia, afaste da criança esse fator ou tudo de que você desconfia. Dê o antialérgico na dose e intervalo exato prescritos pelo médico. Se a alergia não melhorar procure um posto de saúde ou ligue para o pediatra.

Ingestão de corpo estranho

O que levar: Calma para não entrar em pânico e acabar piorando a situação.

O que fazer: Levar a criança imediatamente para um pronto-socorro. Quem tenta tirar o objeto sozinho pode empurrá-lo mais para dentro e piorar a situação. Se o objeto foi engolido não tente induzir o vômito, se a criança não engasgou e nem se feriu quando engoliu, pode fazê-lo ao vomitar.

               

Sobre o autor Ver todos os posts

samyleal

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *