Aventuras Maternas

Você sabe o que você come?

obesidade infantilDurante a evolução do ser humano até o dias de hoje. A nossa espécie desenvolveu técnicas para garantir a sua sobrevivência como as mensagens enviados do estômago ao cérebro avisando que este está cheio. Ou quando se está comendo o prato principal numa refeição e você tem a sensação de estar cansado daquele gosto (salgado) e que agora gostaria de comer sobremesa.

A língua desenvolveu qualidades que permitem a ela detectar os diferentes sabores criando um mecanismo onde o ser humano irá comer uma variedade de alimentos e não apenas um tipo. Assim se assegurando que ele irá se alimentar de uma dieta variada e rica em nutrientes afinal somos omnívoros.

Mas, se essas “qualidades” foram detectadas nos seres humanos então como há pessoas obesas ?

Bem a resposta rápida a esta pergunta é que as empresas que produzem Junk food (lanchonetes de origem americanas, empresas de refrigerantes e salgadinhos industriais) gastaram uma fortuna para análisar o comportamento dos consumidores e formas de burlar estas respostas positivas do organismo humano.

Pense na marca de refrigerante mais famosa do mundo… Agora pense no sabor. Com este sabor é impossível fazer a engenharia reversa e detectar do que é feito, certo? Não tem gosto de caramelo, nem de baunilha, nem de fruta, tem um gosto específico e único a ele, nem a concorrente tem um sabor igual. É apenas similar, não é? Este gosto não específico a nada a não ser ele mesmo permite burlar os receptores da língua. Não tendo assim nenhuma resposta do organismo, sugerindo que talvez não fosse uma boa ideia consumir em grande quantidade.

Outra característica destes refrigerantes assim como os ice teas, e alguns néctares de fruta em geral é a grande quantidade de sódio. As versões “light” tendem a ter uma quantidade ainda maior de sal. Ora se pensarmos em mares com uma enorme quantidade de água salgada que raramente congelam. (Ou seja, onde para congelar é necessário que esteja ainda mais frio do que os zero graus necessários para congelar água doce…), podemos pensar nos refrigerantes: ao beber um copo gelado não se tem a nítida impressão que este está mais gelado do que água gelada?

Quem alguém algum dia bebeu refrigerante gelado porque estava com muita sede e não se sentiu saciado? Acho que isso é uma sensação comum. Agora veja o paradoxo desta situação. A versão zero desses refrigerantes não possui açúcar, apenas adoçante, mais a fórmula secreta deles e sal… Sal costuma reter líquido, certo?

Então a pessoa está bebendo a versão zero tentando emagrecer ou se sentir menos culpada e acaba inchando devido ao sal. E o fato de ter zero caloria pode ainda influenciá-la a consumir em maior quantidade. Não lhe parece um paradoxo?

O ser humano tem necessidade básicas que são ter o que comer e beber, segurança, e um lugar onde morar. A partir do momento em que essas necessidades básicas são saciadas. Pode-se começar a atender necessidades como status como possuir um carro ou/e um smartphone. Foi isso que ocorreu com a parcela da população Brasileira que teve um aumento de poder aquisitivo.

Aí houve o aumento da inflação, e essas pessoas subitamente se viram tendo que trabalhar mais horas e se endividar para manter esse padrão de vida adquirido. Isso acabou impactando a forma como se alimentam reduzindo drasticamente o tempo de planejamento das suas refeições.

Passou-se a substituir uma refeição caseira por um lanche. Por falta de tempo e disposição para preparar uma comida mais saudável depois de uma longa jornada de trabalho. Lanches feitos a partir dos x-tudo, pizza, e outras formas de fast-food são na maioria das vezes ricos em calorias e pobres em valores nutritivos. Porém, imensamente atraentes pela questão da falta de tempo, cansaço devido a longas jornadas de trabalho e os milhões gastos pelos seus inventores em pesquisa e marketing de venda.

Em um outra post falarei sobre as estratégias de marketing que tem como alvo suas crianças que ainda não tem “defesas” suficientes para lidar com estas campanhas. E, falarei mais sobre outras estratégias para tornar este tipo de alimento tão atraente ao ser humano.

Está chegando a hora de cuidarmos mais da nossa alimentação! Um assunto que deveria fazer parte do currículo escolar como forma de prevenção a muitos dos problemas que iremos enfrentar se continuarmos do jeito que estamos.

O chef Jamie Oliver está lutando para incluir nutrição em currículos escolares do mundo inteiro! Tomando a iniciativa dele vamos nos juntar nessa luta para que isto também aconteça no Brasil! Para que os nossos alunos possam ser preparados para a vida e não apenas para o Enem. Assine a petição do Jamie Oliver! Eu já assinei!

Assista o TED do Jamie Oliver (com legenda em Português) sobre esta causa tão importante:

http://youtu.be/zA83ASHriAM

Assine a petição do Jamie Oliver: http://change.org/jamieoliver

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *