Aventuras Maternas

A bordo do MSC Música com crianças

15778217_1325420440822611_1347899407_o
Sol, mar, viagem de férias, tudo a bordo e ainda visitar outros países. Um cruzeiro parece um sonho e realmente pode ser, especialmente para quem tem filhos e quer viajar com todos os serviços com acesso fácil de forma cômoda e prática.15784649_1325400324157956_1784293855_o

Acabamos de retornar de uma viagem marítima a bordo do MSC Música para Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este e compartilho com vocês um pouco sobre as experiências positivas e dicas para evitar coisas que dêem errado.

Para começar, minha viagem começou com o pé esquerdo, infelizmente, e fui levada de cadeira de rodas desmaiada para a enfermaria do porto de Santos (onde fui muito bem atendida carinhosamente pelas enfermeiras portuárias), tamanho estresse do que me aconteceu. Minha mãe e avó foram se encontrar conosco no Porto para embarcarem na viagem e, levaram, da mesma forma que nós, suas respectivas identidades, afinal, para viagens pelo Mercosul, não é necessário o passaporte. Mas, como minha avó está completando 90 anos e o Brasil faz a última carteira de identidade permanente aos 65 anos, seu RG tinha data de expedição nos anos 90. O problema é que na Argentina não se pode entrar com a carteira vencida. Sabíamos sobre a necessidade do documento atualizado, por conta de nossas viagens anteriores, mas como a identidade do idoso é plenamente válida no Brasil e não necessita de atualização, não atentamos para isso.

Ela precisava, nesse caso, do passaporte para entrar no navio e o porto de Santos ficava a 500 km do Rio, ou seja, impossível resolver a questão em 3 horas. Fomos à Cabine da Polícia Federal pedir autorização para a entrada com o documento plenamente válido no Brasil. Conseguimos! Mas a MSC não autorizou, alegando que na Argentina não deixariam ela entrar. Questionamos, argumentamos, pedimos de joelhos. Nada adiantou! Minha avó de 90 foi realmente impedida de passar o Natal conosco. Sofri muito, passei mal, meu filho chorou, mas conseguimos falar com minhas tias e minha avó acabou indo para a casa de uma delas e deixando de viajar conosco.

Resumo da ópera: levem passaporte válido para a viagem! É a melhor coisa a fazer! Soubemos por lá de outras pessoas com problemas por validade da carteira, fotos antigas. E com o passaporte não tem erro. Outro detalhe, se a criança não for acompanhada pelos dois pais, garantam que o documento de autorização vá com o nome completo do filho e assinatura autenticada do pai ou mãe que não estiver presente. Também soubemos de problemas com autorização que tinha o nome incompleto das crianças.

Passado o trauma do embarque e o enjoo das primeiras horas de navegação (nunca senti, mas eu estava tão chateada que acho que senti tudo que podia – vale levar um Dramin ou genérico), fomos conhecer o navio em todos os seus andares. E eu que adoro andar com o filho sob a asa, resolvi testar o Clubinho e deixá-lo brincando por lá. Ele amou e nós também. O espaço Dóremi, fica no 14º andar, logo acima da piscina, ou seja, bem próximo a área de lazer mais cobiçada do navio. É bem seguro e a companhia tem parceria com a Lego, com um espaço todo customizado com blocos e bonecos de montar. Nem preciso dizer que eu mesma queria brincar ali e tirar foto com o mascote marinheiro da Lego que foi se encontrar com as crianças. Para mães que querem relaxar até na hora do jantar, as recreadoras levam os pequenos para comer e só entregam os filhos após o show do teatro, por volta das 23h. Eu quis jantar com ele, afinal a viagem era em família e hora da refeição é perfeita para curtir junto, na minha opinião. Além do mais, o jantar infantil incluía até vegetais, mas sempre acompanhados de batatas fritas, carnes empanadas, pizza e hambúrgueres, enquanto o oficial tinha opções mais saudáveis que iam do tradicional arroz, feijão, batatas assadas e carne, até pratos mais elaborados como peixe ao molho de manteiga clarificada e risoto de espinafre, que meu filho amou.

15785115_1325384424159546_1016368861_o15748757_1325384054159583_1675128260_o

Vale ressaltar, que a recreação é para crianças a partir de 3 anos, antes disso devem ser acompanhadas pelos pais no baby Club. Existe também um cardápio para bebês, com algumas opções interessantes como creme de brócolis e peixe ao vapor bem picadinho, mas conversei com uma mãe que achou os pratos um pouco rebuscados demais para bebês de 6 meses, com oferta até de queijo, e realmente achei que ficou a desejar para quem está em fase de adaptação do paladar e precisa de opções mais saudáveis e não condimentadas. Infelizmente, não se pode levar comida de fora. Então, minha sugestão é aproveitar bastante a oferta de frutas que existe no buffet próximo à piscina e também buscar as opções mais saudáveis no cardápio adulto, como purês de batata ou de baroa, brocólis bem cozidos que poderiam ser esmagadinhos, massinhas, peixes grelhados mais molinhos e abóboras cozidas sem sal que eram ofertadas quase que diariamente.

15778297_1325398660824789_1042946248_o

15748793_1325377384160250_291359789_oSobre bebidas, o navio oferece água dessalinizada, mas eu preferia dar para o filho apenas água mineral em todas as refeições e comprava sucos naturais em nossas paradas. Afinal, o suco de laranja natural do navio era cobrado em dólar e os sucos estilo Tang eram retirados em máquinas, mas estão longe de fazer bem, né?

Piscinas! Bem, esse é um caso à parte! Curtimos muito, inclusive o filho, as 4 jaccuzzis do navio, com água quentinha e hidromassagem, mas era preciso entrar na fila. Todo mundo queria o mesmo, porque a água das duas piscinas oficiais era retirada do mar e na mesma temperatura que devia estar lá fora, um gelo! As crianças também tinham uma piscina para elas, mas aconselho deixá-las longe do espaço no dia da “festa da neve”. Os maiores se jogam banhados em espuma e deixam o espaço dos pequeninos em estado de calamidade. Nesse caso, curti a ideia de um casal com bebê que levou a boa e velha piscininha de encher, colocou a água quentinha do chuveiro da piscina e banhou seu pequenino sem nenhuma complicação.

15776245_1325400390824616_1689509037_oOs quartos! Escolhemos uma suíte de área externa, afinal, a dica que recebemos foi evitar as suítes internas (que são mais baixas neste navio), onde os hóspedes sentem mais tremores dos motores, mas também evitamos os quartos com varandas, para evitar riscos, já que estas não têm redes e o mar é muito atraente. De uma maneira geral gostamos do quarto. A cama de casal era king, confortável, com 4 travesseiros, a do meu filho abria na parede e também era boa. Os armários tinham bastante espaço para guardar as roupas de todos e o quarto era equipado com secador de cabelo, um chuveiro regulável e tudo estava bem limpinho e organizado sempre. Minha mãe ficou no quarto com varanda que é super válido para tirar boas fotos e curtir as paisagens à noite ou de dia.

Pegamos ainda alguns trechos com bastante vento durante a viagem e escolhemos a popa do navio para nos protegermos. Como o vento vinha sempre no sentido da proa, ali ficávamos resguardados, admirando a beleza do mar e relaxando em espreguiçadeiras. Meu filho curtiu tanto que ficava chamando o vento para ir para lá de novo.

Lojas! Se estiver contando os dólares, fuja de lá. Porque tem muita coisa bacana, ótima marcas internacionais como Bulova, Rayban, Diesel, Lacoste, maquiagens de várias grifes, perfumes com preços nem tão caros quanto aqui, nem tão baratos como nos Estados Unidos. Dá para comprar bem, especialmente nos últimos dois dias, quando as promoções chegam a 70%. Na Pharmacia, tinham balas, chocolates e afins com preços de Duty Free e brinquedos da Lego City, custando na média 10 dólares, contra R$80,00, em lojas brasileiras. Vale a pena, investir em agrados para crianças ali.

Se você vai pensando em fazer as excursões propostas pela MSC, sugerimos rever a ideia. Acredito que em Punta não tem muito jeito, pois são poucas horas, mas o ideal é optar pelo passeio com a visita por dentro da Casa Pueblo, para aproveitar mais tempo e ver os detalhes do ponto turístico mais interessante da excursão. Algumas pessoas alugaram bikes e passearam pela orla e outras conseguiram um tour por 20 dólares em vans na saída do porto. Eu preferi não arriscar com criança, pois não daria para correr e tínhamos risco de perder o navio, que desembarcou atrasado em 1 hora e cumpriria o mesmo prazo marcado antes para retorno.

Já em Buenos Aires e Montevidéu, preferi seguir um roteiro planejado por uma pesquisa prévia no Google e curtir passeios mais calmos com meu filho pelas ruas e parques das cidades (vou contar em posts sobre cada uma) e aconselho a fazerem o mesmo, pois soube que as excursões param em poucos pontos e acho muito sem graça conhecer as cidades pela janela. Mas isso depende do estilo das famílias. Meu filho de 5 anos não usa mais carrinho e o marido teve que carregá-lo no cangote em vários trechos, em outros andamos de táxi ou metrô.

15725649_1325398560824799_12750106_o

Uma coisa bem legal foi a Parada das crianças pela UNICEF. A equipe de recreação organizou um desfile para mobilizá-los em prol de uma causa nobre em apoio a pequenos desnutridos em todo o mundo e ao final da viagem todos contribuímos com $1,50 para a instituição e nossos filhos ganharam um certificado de pequenos embaixadores da instituição.

Relaxamos também! No primeiro dia ganhei um Spa Termal num sorteio e curti 1 hora de jaccuzzi aquecida e sauna. Como o espaço é pago e à parte, fiquei sozinha em imersão e relaxamento e confesso que foi ali que entrei no clima da viagem. Depois voltei com o marido para mais uma diária pelo valor de 30 dólares para o casal, já na promoção de final de cruzeiro.

Sobre o café da manhã, também tenho uma dica importante. Vale experimentar todos os salões. No 14º andar tem um buffet da piscina com doces, croissants, geleias e pães de queijo. No 5º andar é possível pedir a la carte e amamos os waffles quentinhos servidos com frutas vermelhas e chantilly. Sobre o café com leite, a dica é pedir o leite com sachê de Nescafé, pois o café feito por eles com a água dessalinizada era bem ruinzinho. Eu acabei bebendo água todos os dias e pedindo o suco de laranja natural algumas vezes, pois não posso leite, né?

15726172_1325420294155959_1611419207_oNa área da piscina existem ainda uma sorveteria autêntica da Itália, com gelatos e também com geladeiras repletas de sabores da Kibon italiana. Vale experimentar e também vale comprar a raspadinha e ganhar o copo super fofo por 4 dólares, com reposição de 2 dólares. Também amamos a carta de coquetéis não alcoólicos com 8 tipos.

15748156_1325384370826218_40243931_o

Para finalizar, vale assistir os shows de todas as noites. A equipe que se apresenta é incrível com cantores, dançarinos, acrobatas, mágicos e espetáculos super produzidos em temas para toda a família, com temas como Batman, Tartarugas Ninja e Caça Fantasmas.

Nosso cruzeiro foi temático de Natal e tivemos um jantar especial, seguido de show e ceia naftalina com frutas e doces natalinos. Mais cedo, o Papai Noel visitou o navio e presenteou todas as crianças com mimos educativos. Bem carinhoso!

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

2 ComentáriosDeixe seu comentário

  • Adorei seu relato de viagem. Estou pensando em fazer uma viagem com a minha mãe e ninguém fez resenha do MSC Música. Ano passado estive no Splendida e foi maravilhoso. Uma pena sua avó não ter ido com vocês!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *