Aventuras Maternas

Ajudar famílias: essa é a missão da Mini Bee

mini-bee-1Uma empresa que oferece serviço personalizado de delivery de roupas e acessórios para bebês. Esse, certamente, é o sonho de muitos pais, especialmente quando algum item faz falta no armário do seu bebe e é preciso comprar de qualquer maneira. Mas como sair de casa assim, sem programação, com um bebê pequeno? Pode parecer algo impensável, mas foi esse o negócio que Sabrina Bitencourt Neufeld, de 35 anos, criou para que pudesse ficar mais perto do filho Benício: a Mini Bee.

A Mini Bee nasceu em outubro de 2015, com o objetivo de facilitar a vida das mães em um momento tão delicado, que é a chegada de um filho. Sabrina trabalhava como diretora de arte em uma agência de propaganda e sua carga horária média era de 10 a 12 horas por dia. “A vida era muito insana. Saía cedo de casa e deixava ele na minha mãe, pois trabalhava bem perto de lá. Corria para o trabalho e, estando lá, era outra corrida contra o tempo para fazer e entregar tudo o que era preciso no dia. Saía correndo para almoçar com ele e já voltava para o escritório. Chegava para vê-lo umas 19h, dava o jantar, brincava um pouco e já era hora de colocá-lo para dormir.”, conta. Ela comenta que até conseguia vê-lo bastante, mas sem nenhuma qualidade de tempo e sempre com bastante stress e preocupações.

Mas o que era uma ideia a ser desenvolvida se transformou em realidade. E parece que o destino se encarregou de tornar tudo mais “fácil”. Depois de 10 anos de trabalho, Sabrina foi demitida. Ela já tinha começado paralelamente com a Mini Bee, mas em forma de teste, indo bem devagar. E esse era o empurrão que precisava para ter horários mais flexíveis e mais tempo de qualidade com o filho.

A empresa oferece serviço personalizado de delivery de roupas e acessórios para bebês até 18 meses. Funciona assim: eles deixam a mala e fazem a retirada após 48h, pois, desta forma, as mães podem olhar com calma, experimentar no bebê e escolher as peças interessam. São itens exclusivos e escolhidos a dedo, que vão desde charmosos babadores bandana e modernos mini mocassins, até exclusivas diaper bags. Ao todo, são mais de 10 marcas reconhecidas no mercado e que chamam a atenção por aliar conforto, qualidade e estilo. As entregas acontecem em algumas regiões de São Paulo (capital) e outros locais, como Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte e Vale do Paraíba, mas a empresa envia também pelos Correios. Todo o contato com o cliente é realizado por WhatsApp e e-mail. Não há custos com frete e, como forma de garantir a segurança, a mala chega trancada e só pode ser aberta por meio de um código pessoal – enviado anteriormente para o cliente por correio eletrônico. Em cada pedido, a pessoa recebe em casa mais de 50 peças de marcas como Mam, Skip Hop, Pistol Star, Gumii, Jardim Marco e Moccs. “Em alguns casos, porém, quando a mãe sinaliza que gosta de lacinhos e muitos acessórios, a mala chega a ter até 100 itens”, conta Sabrina, enfatizando que os produtos podem ser enviados também separadamente, seguindo as mesmas regras: o comprador pede via WhatsApp, mas não recebe tudo, apenas o que quer.

E para assegurar a agilidade e o controle de todas as etapas do processo – do estoque e emissão de notas fiscais a rotas de entrega -, a empresa utiliza diferentes softwares de gestão. “Desta forma, conseguimos tratar o cliente de forma única e especial. O atendimento personalizado é o nosso diferencial”., comenta Sabrina.

Mas como em todas as mudanças que ocorrem na vida, existe um lado bom e um, digamos, não tão bom. Sabrina explica que o lado ruim é a insegurança financeira, como em todo começo de negócio. “Ah, e também nunca relaxo, estou sempre trabalhando, vendo e-mails e atendendo as pessoas por whastapp.”, exemplifica. Além disso, apesar de continuar trabalhando em ritmo frenético, ela sente falta das pessoas no ambiente de trabalho. Mas isso não implica em mudar seus planos. Afinal, a vontade é de fazer a Mini Bee crescer. “A ideia é expandir, crescer e ter uma empresa que possa atender a todos. O trabalho realmente será maior, mas penso que com flexibilidade as coisas mudam. Se eu posso sair no meio do dia e levar meu filho em alguma atividade importante, sem me sentir culpada, com medo de ser mandada embora, posso trabalhar à noite pra compensar. Isso vale a pena. O equilíbrio entre trabalho e família é essencial. Acho que sempre estaremos nesta busca.”, complementa.

Sabrina ainda criou o projeto Bee Good, com o propósito de ajudar mães e bebês de instituições carentes. Ao solicitar uma mala, o cliente recebe junto uma bolsa para que possa se desfazer de roupas e acessórios em bom estado que não cabem ou não são mais de interesse da criança. Além de coletar os itens e entregar em um local confiável em São Paulo, a empresa oferece 10% de desconto ao cliente na próxima compra. “Queremos que a peça que um dia trouxe conforto e felicidade pra aquela família, leve os mesmos sentimentos adiante”, finaliza Sabrina.

Perguntada sobre como definiria seu negócio e como ele melhorou a relação familiar em uma frase, Sabrina foi categórica: “Flexibilidade e presença.”. Sim, essas talvez sejam duas das principais características para mães que querem continuar trabalhando, mas que não abrem mão de estar com seus filhos.

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *