Aventuras Maternas

Como agir se o seu filho sofrer bullying?

image-1024x512De acordo com dados do IBGE, divulgados em 2016, 46,6% dos alunos já sofreram algum tipo de bullying na escola. E 7,4% declararam que são humilhados frequentemente, sendo sua aparência um dos principais motivos.

Ser alvo de críticas maldosas, brincadeiras humilhantes e violentas são alguns dos problemas enfrentados por crianças que sofrem com o bullying na escola. E, tomar providências contra esses atos de agressão verbal e física é um importante passo para evitar traumas psicológicos no futuro da criança. Mas como agir?

Simone Domingues, professora do curso de Psicologia da UNG Universidade, explica que durante o período escolar a pessoa está criando consciência sobre quem é, por isso é natural inseguranças. O que facilita a existência dos agressores, por eles se fortalecerem das fraquezas de seus alvos. Domingues ressalta a preocupação com a proporção que o medo vivenciado pela vítima pode tomar. “Em situações ele pode levar a uma depressão profunda, tão grave, que a criança pode tentar o suicídio”.

Como identificar o bullying na escola?

Normalmente o aluno não conta que está passando pelo problema, ele tem vergonha, por isso os pais e professores devem ficar atentos com mudanças de comportamento. Se o estudante passar a não querer ir para a escola, expressar manifestações de isolamento ou até mesmo de violência, pode ser um sinal. O ideal, para Simone, é que as escolas façam dinâmicas e palestras sobre o assunto, para explicar o que é o bullying, ensinar estratégias de ajuda e orientar as vítimas a falarem sobre seu tormento com um responsável. Em alguns casos, seria interessante a intervenção de um psicólogo para trabalhar a vítima e o agressor, pois em muitos casos agredir também é uma maneira de pedir ajuda.

O que fazer para ajudar a criança que sofre bullying no ambiente escolar?

Os pais e professores precisam demonstrar apoio e acolher a criança que sofre bullying na escola. É importante que os adultos reafirmem a vítima de bullying, valorizando suas qualidades e demonstrando que ela não é culpada pelas agressões que sofre.

Conversar com a criança vai permitir que ela expresse seus sentimentos em relação às agressões e ameaças. Evite fazer críticas e não minimize o problema. A criança precisa ser ouvida.

Os pais devem relatar o bullying com crianças a um responsável no colégio para tomar providências contra os agressores.

Nos casos mais graves, quando há perseguição na internet, é necessário reunir provas do conteúdo abusivo. Imprimir páginas e mensagens ofensivas à criança para fazer um boletim de ocorrência.

Ações em conjunto para evitar o bullying na escola

Há ações e iniciativas que ajudam a evitar o bullying com crianças. O trabalho preventivo, em conjunto com os pais e a escola, é um bom caminho para conscientizar sobre atitudes discriminatórias no ambiente escolar e na internet.

Organizar programas antibullying na escola e na comunidade traz benefícios. Essas campanhas podem promover ações como palestras com psicólogos e capacitação dos pais e funcionários para lidar melhor com o bullying.

Discutir o tema em casa e na sala de aula também é um meio de conscientizar os agressores e criar políticas de não tolerância ao bullying com crianças.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *