Aventuras Maternas

Um hábito que começa de pequeno

20170418_202013Hoje, 18 de abril, são comemorados o Dia de Monteiro Lobato e o Dia Nacional do Livro Infantil. Porém, o que presenciamos muito atualmente é uma distância cada vez maior entre as crianças e o hábito de leitura.

Mas por que devemos tentar mudar essa realidade? “A leitura é primordial para o aperfeiçoamento do ser, pois humaniza, ensina. Com ela, a pessoa adquire cultura e é capaz de questionar o mundo que o cerca. Ler é essencial para acionar a imaginação e a criatividade das pessoas.”, lembra Alexandra Vieira de Almeida, doutora em Literatura Comparada da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), professora da Secretaria de Estado de Educação (RJ) e tutora de ensino superior a distância da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ela conta que os pais devem incentivar os filhos a começar a ler desde o momento da alfabetização. “Há livros para esta faixa etária, facilitando o aprendizado do alfabeto, da formação das palavras, dos ditongos, jogando com a sonoridade e com a brincadeira. Os pais devem auxiliar em casa o que os professores ensinam em sala de aula, orientando os pequenos. Já alfabetizados, eles devem adquirir cada vez mais leitura para se tornarem seres mais criativos, mais propensos à reflexão e ao simbólico.”, complementa. A jornalista e escritora Maíra Gomes lembra, ainda, que ler aumenta o vocabulário, permite memorizar a grafia correta das palavras, estimula a imaginação, além de possibilitar o desenvolvimento da habilidade da escrita e da comunicação verbal, e, é claro, adquirir conhecimentos diversos.

Um exemplo do que citamos acima é a estudante do 8º ano do Centro Educacional da Lagoa (CEL), Eduarda Lima, de 13 anos. Ela conta que sempre gostou de ler – inclusive, gostava mais de livros que de boneca – e que os pais sempre a incentivaram. “No início, meus pais compravam livros com mais figuras do que palavras, aqueles de criança mesmo, mas eu fui querendo mais e hoje consigo ler bastante em pouco tempo. Gosto muito da sensação de pegar um livro e ir descobrindo a história a cada página.”. Ela explica, ainda, que o hábito da leitura ajuda muito a entender os textos, especialmente nas aulas de redação e interpretação. “Meu vocabulário melhorou muito depois que passei a ler com mais frequência, acho que escrevo melhor também.”, complementa.

E para quem quer incentivar o hábito de leitura nas crianças desde muito novinhas, Lô Carvalho, pedagoga, editora e autora de livros, especialmente os infantis, desenvolveu o blog Bebê Leitor, onde dá dicas de lugares que estimulam a leitura, dicas de como exercitar a leitura em família e recomendação de títulos, sempre nacionais, voltados para esse público. Ela acredita que é preciso ampliar a noção do que e como ler, além da crítica sobre os livros. “Acredito que a leitura é um fator de socialização. Procuro destacar que formar um bebê leitor é um primeiro passo fundamental, mas não exclusivo, para formar um leitor. O mais importante é a interação entre o bebê e os adultos que o cercam. Ler para a criança pequena é conversar, expressar opiniões, defender ideias e valores. É preciso acreditar na força da leitura e ter a certeza de que a simples lembrança desses momentos com os filhos já serão suficientemente importantes”, comenta.

A jornalista e historiadora Maria Angélica Oliveira, mãe de Joana e Bento, de dez e seis anos, conta que os dois filhos adoram ler. “Alguns lemos todos juntos e outros são escolhidos por eles. Joana adorava a série Pilar, de Flávia Lins e Silva. Já para o Bento, entre as preferidas estão os contos originais dos irmãos Grimm. Eu e meus irmãos líamos muito quando crianças, e foi um hábito que trouxe para os meus filhos.”, conta.

A seguir, selecionamos alguns livros para crianças até 12 anos, entre clássicos e lançamentos, que podem ajudar os pais a estimular a vontade de ler nos filhos:

  1. “A Droga da Obediência”, de Pedro Bandeira – Em um clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga. E essa droga já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo. Este é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas! – Editora Moderna – Site: Estante Virtual
  2. “A Ilha Perdida”, de Maria José Dupré – Eduardo e Henrique resolvem explorar uma misteriosa ilha e descobrir se as histórias que ouvem sobre o lugar são reais. Acabam se envolvendo em uma grande aventura em que um velho sábio ensina o respeito e o amor à natureza. – Editora Ática – Site: Estante Virtual
  3. “O Pequeno Príncipe”, de Antoine Saint-Exupéry – Apesar da presença explícita de dois personagens e do registro de um diálogo entre o aviador e uma criança, diversos aspectos autobiográficos estão presentes nesta narrativa, publicada pela primeira vez em 1945. Por meio de imagens simbólicas, as passagens de ordem temporal, na vida do autor, estão ali presentes: casamento/separação, profissões, sonhos, decepções. Os dois personagens tornam-se representações do próprio Saint-Exupéry, em um monólogo interior entre o “eu” e o “outro”. – Editora Agir – Site: Estante Virtual
  4. “Socorro, mamãe, caiu no celular!”, de Ana Luiza Badaró Braga, – Uma história lúdica que fala sobre o uso excessivos dos telefones celulares nos dias atuais, e o impacto desse comportamento nas relações com os filhos. Os irmãos Tuca e Teca são os protagonistas de uma emocionante história que apresenta de forma leve um dos assuntos mais discutidos no momento: o uso excessivo dos celulares no dia a dia e o quanto isto pode interferir nas relações familiares. – Editora Guarda-Chuva
  5. “O fantástico mistério de Feiurinha”, de Pedro Bandeira – Você se lembra, não é? Quase todas as histórias antigas que você leu terminavam dizendo que a heroína casava-se com o príncipe encantado e pronto. Iam viver felizes para sempre e estava acabado. Mas o que significa “viver feliz para sempre”? Significa casar, ter filhos, engordar e reunir a família no domingo para comer macarronada? Quer dizer que a felicidade é não viver mais nenhuma aventura? Como é que alguém pode viver feliz sem aventuras? Ah, não pode ser! Não é possível que heróis e heroínas tão sensacionais tenham passado o resto da vida assistindo ao tempo passar feito novela de televisão. É preciso saber o que acontece depois do fim. Pois agora você vai ter essa oportunidade! Conheça todos os mistérios que acontecem depois do fim. – Editora FTD – Site: Estante Virtual
  6. “O menino do dedo verde”, de Maurice Druon – Era uma vez Tistu, um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo. Esta fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; e foi pioneira ao abordar o tema ecologia. – Editora José Olympio – Site: Estante Virtual
  7. “Histórias do Velho Nestor, contando seus contos de horror”, de Janine Rodrigues – A história conta a história de Nestor, um velho que assusta a todos na cidade, que anda arrastando uma das pernas e, além disso, tem grandes olheiras e uma estranha caixa de madeira que leva debaixo do braço. É só o velho aparecer com sua cara amarrada e seu olhar sombrio, que todos saem correndo. Cansado da má fama da cidade, o embaixador decide que o tal velho deverá ir embora. Para isso, oferece três moedas de ouro e uma carambola mágica para quem conseguir fazer o velho Nestor partir. Um dia, um menino serelepe se muda para a cidade. Decidido a ganhar os prêmios do embaixador, ele precisará de um coração amável e muita coragem para resolver tudo. A obra tem tudo para trazer à tona questões de suma importância para a educação infantil e para propiciar um diálogo sobre a importância de ouvirmos o outro. O livro conta com as incríveis ilustrações de Fernanda Castanho, que soube demonstrar de forma extremamente criativa todas as cenas da história. – Editora Piraporiando
  8. “Histórias de ninar para garotas rebeldes”, de Elena Favilli & Francesca Cavallo – Um livro com 100 histórias sobre a vida de 100 mulheres extraordinárias do passado e do presente, ilustradas por 60 artistas mulheres do mundo inteiro. O projeto foi pensado por Elena Favilli e Francesca Cavallo, cofundadoras da empresa de mídia infantil Timbuktu Labs, nos Estados Unidos. O livro conta as histórias que vão de Frida Kahlo, passando por Elizabeth I, até Serena Williams e Maya Gabeira; todas ilustradas por artistas do mundo todo. Com textos que remetem ao estilo de conto de fadas, muitas das histórias começam com o clássico “Era uma vez”, pois, segundo a própria autora – Favalli –, a ideia é dar a sensação de um conto de fadas moderno, para embalar o sono das pequenas antes de dormir. – V&R Editoras Brasil – Disponível nas principais livrarias do país.
  9. “Bisa Bia, Bisa Bel”, de Ana Maria Machado – A história de uma menina e de sua avó, e a descoberta de muitas coisas. Salamandra (Infantis) – Disponível nas principais livrarias do País.
  10. “A incrível fábrica de cocô , xixi e pum”, de Fátima Mesquita – Como é que aquela deliciosa pizza e aquela limonada geladinha que você saboreou com tanto prazer se transformam em…eca!…cocô e xixi? As crianças vão descobrir como tudo isso é produzido dentro do corpo. Conheça os ‘trabalhadores’ que estão dentro do corpo separando do alimento tudo o que dá energia para correr, pentear o cabelo, jogar videogame e dar sustos nos outros. Já o resto da comida…bem, sobre isso é melhor você ler o livro para saber. – Panda Books – Disponível nas principais livrarias do País.
  11. “Malala, a menina que queria ir para a escola”, de Adriana Carranca Corrêa – No primeiro livro-reportagem destinado ao público infantil, a jornalista Adriana Carranca relata às crianças a história da adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, baleada por membros do Talibã aos 14 anos por defender a educação feminina. Na obra, a repórter traz suas percepções sobre o vale do Swat, a história da região e a definição dos termos mais importantes para entender a vida desta menina tão corajosa. Companhia Das Letrinhas – Disponível nas principais livrarias do País.
  12. “Diário de um treinador de monstros”, de John Diary – Adam é um garoto que, de forma bem-humorada, narra suas aventuras e desventuras cotidianas em um diário. Ele descobre que os monstrinhos de um aplicativo que acabou de baixar são reais, assim como o treinamento, as caçadas e as batalhas! Logo, o vínculo que Adam cria com eles vai fortalecer e agitar sua vida. Enquanto aprende a capturar e a treinar essas criaturas, ele também precisará aprender a lidar com todos os monstros da vida de um garoto da sua idade: há uma garota de quem ele está a fim, mas com quem não consegue puxar assunto; um valentão que gosta de fazer bullying com ele; e seus pais, sempre tão… pais. Com os divertidos desenhos de Adam, este diário é dedicado àqueles que sonham viver como nos games – Editora Hashtag – Disponível nas principais livrarias do país.

E para os pais que querem que os filhos criem o hábito da leitura, um conselho de quem sabe o que está falando. Eduarda sempre fala para os amigos que não gostam tanto quanto ela, para começarem devagar, lendo uma coisa, e depois outras, e ir se descobrindo. “O assunto é muito importante para continuar até o final. É legal também trocar os livros que já leu por outros. Lá na escola, eu doei para a biblioteca, ao invés de ficar em casa com poeira. Pedi para meus pais para levar e deixar lá para quem quisesse pegar.”, finaliza. Fica a dica!

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *