Aventuras Maternas

Cuidado nunca é demais

proteçao.

As férias acabaram. E voltar a rotina depois de alguns dias fora é preciso. Independentemente da realidade de cada família – se os filhos ficam com os pais em casa ou sob os cuidados de outras pessoas -, é fundamental criar um ambiente seguro, onde eles possam explorar o mundo que os rodeia. Afinal, as crianças pequenas não têm capacidade para avaliar o perigo. Assim, cabe aos adultos a responsabilidade pela sua proteção, segurança e prevenção de possíveis ocorrências – só para ter uma ideia, segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, anualmente mais de 122 mil crianças são hospitalizadas devido a acidentes domésticos.

Obviamente, todo cuidado é pouco quando se trata de crianças, principalmente as que moram em apartamentos, casas com mais de um andar e até mesmo com piscinas. Especialistas alertam que algumas medidas devem ser tomadas e uma delas pode ser a instalação de redes de proteção em todos os espaços em que as crianças tenham acesso e que sejam abertos, como varandas e janelas. Nunca se sabe quando uma bola ou brinquedo arremessado pode levar a um acidente de grandes proporções.

Para Bárbara Rodrigues, da Glysa Redes de Proteção, “a rede nas janelas deve ter instalação rígida e apresentar espaço entre ganchos conforme legislação vigente (entre 30 e 50 cm). Para proteger os pequenos, preconiza-se o uso de redes de proteção com malha de 5X5 cm para que a criança não consiga abri-la”, explica. A instalação da rede de proteção deve ser feita por uma empresa especializada e devem ter validade ou garantia máxima de três anos. “Aconselhamos revisão e troca da rede após este prazo. Pela nossa experiência verificamos uma durabilidade maior que este período, no entanto, priorizando a segurança seguimos o período estabelecido do pelo fabricante”, completa Bárbara. O ideal para piscina instalada em casas e condomínios é que ela seja coberta por uma rede de proteção, principalmente se a criança não souber nadar. Vale lembrar o grande número de acidentes deste tipo nos últimos meses.

Mas o perigo pode estar em mais locais, não apenas nos que precisam de telas de proteção. De acordo com o Sistema de Vigilância de Violência e Acidentes do Ministério da Saúde (Viva), a maioria dos acidentes é causada por quedas, queimaduras, intoxicações e afogamentos, atingindo principalmente crianças entre 0 e 9 anos. Ou seja, banheiros, cozinhas e escadas são outros locais que também merecem atenção redobrada quando se tem criança em casa.

A seguir, algumas dicas para que os pais possam ficar mais tranquilos com seus filhotes:

Escada: criança adora uma escada! O melhor é a colocação de um portão para impedir o sobe e desce da criança. Outro cuidado é na proteção dos vãos laterais, que num momento de descuido também podem levar a sérios acidentes;

Cozinha: Evitar facas em locais que as crianças possam alcançar; deixar as saídas do gás e aquecedor fechadas;

Banheiro: O ideal é que as crianças não fiquem nunca sozinhas. Lacres de privada podem ser uma opção, são fáceis de instalar e impedem que a criança tenha acesso ao vaso sanitário. Tapete antiderrapante no chão do box ajuda a diminuir os riscos de queda;

Material de limpeza: É ideal ter um armário com chave para esse tipo de material. O mesmo vale para os armários de remédio;

Tomadas: O ideal é colocar um tapador de tomadas para que as crianças não coloquem o dedinho nas mesmas;

Piscina: Cuidado também com a sucção de filtragem da piscina quando em funcionamento, evitando as brincadeiras perto do motor.

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *