Aventuras Maternas

Proteção a cada minuto

No final da gravidez, andava sempre com dois acessórios na bolsa, um deles bem inusitado: o cartão de gestante com todos os dados do meu pré-natal e um dispositivo de segurança que funciona por GPS: o Mili. Recebi há algumas semanas para fazer um teste com meu filho ou com minha cadelinha Hannah, para manter ambos seguros e sob minha vigilância, mas decidi usar comigo mesma. Afinal, estava sempre na rua, com dores na coluna e com aquela possibilidade iminente de entrar em trabalho de parto. Então, achei que seria interessante que meu marido e minha mãe pudessem saber onde eu estava e que eu pudesse apertar o botão de SOS que vem integrado, caso algo acontecesse e eu não tivesse tempo de telefonar. Sabe-se lá o que pode acontecer, né?

Apesar do meu uso inusitado, acredito que o dispositivo possa ser uma boa para todo mundo nos dias de hoje, numa cidade violenta como a que vivemos, onde um sequestro relâmpago pode acontecer quando menos se espera. Além disso, embora alguns possam achar que é um exagero essa vigilância cerrada, somente coração de mãe sabe como é a aflição de não saber onde o rebento está. Mas a questão vai além do controle. Não, não é sobre vigília que estou falando. O que queremos, de verdade, é garantir que quando os filhos não estão ao nossos alcance, debaixo das nossas asas, como alguns dizem, estejam realmente protegidos.

Enquanto bebês, esse controle, teoricamente, é mais fácil. Afinal, eles só vão onde nós vamos. Mas assim que começam, literalmente, a caminhar sozinhos, a vida de qualquer mãe se transforma. Você pode ser a mãe mais moderna e easy going do mundo, mas quando seu pequeno sair de perto, vai dar aquele medo. É um passeio no colégio, uma ida à​ banca de jornais para comprar revistas e figurinhas, um lanche com o amigo na padaria próxima a sua casa. Tanto faz. Se ele sair do seu campo de visão, um alerta interno já toca na gente, perguntando “Cadê?”.

Mas como protegê-los de qualquer perigo que apareça sem que isso afete a capacidade de ir e vir deles e altere a sua rotina? ​A ideia do Mili, esse localizador de alta precisão​, é possibilitar que, caso aconteça algo, ​possamos saber onde encontrar quem procuramos.

Segundo o fabricante, a empresa Hitec, o GPS tem um perímetro de rastreamento enorme, que abrange todo o país, e dá o detalhamento preciso de qualquer lugar quando houver cobertura GSM ou GPRS. No caso do nossos filhos se perderem, por exemplo, eles podem acionar o botão do pânico para serem encontrados mais rapidamente. Para os menores, que ainda não têm como entender a questão de um botão para apertar caso se percam (além do medo que ficam quando se veem sem ninguém conhecido por perto), há um aplicativo que deve ser instalado no nosso celular. E este mostrará, em tempo real, onde o aparelho está e, consequentemente, nosso bem maior. “A criança que estiver com o Mili poderá ser acompanhada no trajeto em tempo real, com registro de dados do local, em média, a cada um minuto. Além disso, o aparelho tem a mais eficaz precisão do mercado ao indicar onde a pessoa está: um raio de até 40 metros”, explica Marcelo Berlim, um dos sócios da empresa que desenvolveu o Mili.

É fato que em muitos momentos não poderemos proteger nossos filhos de tudo, e eles vão “apanhar da vida”, como dizem por aí. Quando ficarem mais velhos, inclusive, vão, provavelmente, achar que devem ter uma pseudo liberdade de ir e vir e que não são mais bebês para serem controlados pelos pais. Mas enquanto eu puder proteger meus filhos de qualquer forma, ainda que acompanhando por uma tela de celular por onde eles andam, vou fazê-lo. Afinal, como diz o ditado, é melhor prevenir que remediar.

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *