Aventuras Maternas

Shantala: descubra como massagear seu bebê em casa

A chegada do bebê transforma a vida do casal. Agora pais, eles se veem diante de uma nova rotina de cuidados e responsabilidades, mas também de muito amor. Estimular e cuidar do bebê é uma das principais preocupações dos pais a fim de garantir o bem-estar do pequenino. E uma das formas de reforçar o vínculo afetivo e ainda acalmar o bebê, reduzindo sua cólica e incitando o desenvolvimento de movimentos como rolar, sentar e engatinhar, acontece por meio da Shantala, uma técnica de massagem indiana que é feita pelos pais ou cuidadores a partir do primeiro mês de vida.

Além de ser uma delícia esse contato com a pele macia do bebê, massageá-lo também é uma forma de demonstrar carinho e é bastante simples de ser feito. A enfermeira obstetra Cinthia Calsinski, da capital paulista, dá 10 dicas de como potencializar a massagem:

  1. Prepare o ambiente antes de iniciar a massagem. Deixe o cômodo a meia luz. A temperatura deve ser agradável e uma música relaxante ajuda a mamãe e o bebê a entrarem no clima;
  2. Em seguida, a mãe deve escolher um óleo para massagear o bebê. O ideal é que este óleo possa, também, estimular a aromaterapia;
  3. O ideal é fazer a Shantalla meia hora após a mamada. A criança deve estar tranquila para que possa curtir a massagem;
  4. A mãe, o pai ou o cuidador deve se sentar com as pernas esticadas e colocar o bebê no colo, sobre as pernas;
  5. Com as mãos untadas no óleo, esfregue uma palma contra a outra para aquecer antes de tocar o bebê;
  6.  As mãos devem estar relaxadas e os dedos unidos. Deslize-as sobre o peito do pequeno, horizontalmente, em direção à axila e aos ombros;
  7. Segure o punho do bebê como se fosse um bracelete e deslize a outra mão ao longo do bracinho. Massageie também as mãozinhas do pequeno. Use o mesmo movimento nas perninhas e pés;
  8. Durante a Shantalla, converse, sorria, faça caretas engraçadas. A atitude ajuda a prender a atenção do bebê;
  9. Com as mãos em concha, deslize-a da base da costela até a pélvis do bebê para aliviar as cólicas;
  10. Não é fácil se desligar do que vem depois, mas aproveite o momento para relaxar e aproveitar o contato com o bebê. Além disso, tire umas ‘casquinhas’ dele: beijos, carinhos e olhares reforçam a cumplicidade e estreitam o laço afetivo com a criança.

Para saber mais, acesse Facebook.com/cinthiacalsinskienfermeiraobstetra

Informações: Assessoria de Imprensa

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *