Aventuras Maternas

Sono do bebê: individual e intransferível

A educadora integrativa Bia Rangel é especialista em sono dos bebês e resumiu em 10 tópicos as principais dúvidas que cercam as mães no primeiro ano dos filhos.

– Bebês acordam de madrugada e é normal! Porque eles possuem necessidade nutricional de mamar de madrugada. Então, não crie expectativas de muitas horas seguidas de sono do seu bebê, os despertares para alimentá-lo são muito bem-vindos e irão garantir um sono profundo em seguida. Por exemplo, um bebê de 2 ou 3 meses que acorda a cada 3 horas para mamar tem um sono de qualidade, assim como um bebê de 6 meses que ainda acorda 2 vezes. Uma amamentação estabelecida e um sono organizado são essenciais para o bom desenvolvimento desse bebê. Bebê que mama bem, dorme bem e bebê que dorme bem, mama bem.

– Não compare o sono do seu filho com o de outro recém-nascido. Cada bebê tem seu ritmo e alguns bebês pequenos podem naturalmente prolongar seus intervalos de sono. Consulte sempre o pediatra.

– Compartilhar o quarto significa sono seguro para o seu bebê, segundo a Academia Americana de Pediatria. Recentemente, a AAP divulgou um estudo sobre a SMSL (Síndrome da Morte Súbita do Lactente), onde fez algumas recomendações para a redução do risco da SMSL e uma delas é a de que os bebês durmam no mesmo quarto que os pais, próximo a cama dos pais, até 1 ano (no mínimo por 6 meses), mas em superfícies (camas) separadas. Crianças até 1 ano devem ser colocadas pra dormir de barriga pra cima (a partir do momento em que a criança consegue virar e desvirar, podemos deixá-la a posição que ela assumir).

– O organismo dos bebês não está pronto para passar muitas horas acordado. Eles precisam de descanso de tempos em tempos para que possam retomar as suas atividades. As sonecas diurnas são extremamente importantes pra um bom desenvolvimento do bebê. Impedir que o bebê tire sua soneca só vai deixá-lo muito cansado, estressado e provavelmente acarretará em um sono agitado e com despertares durante a madrugada.

– Colo não estraga. Os bebês humanos são os mamíferos mais dependentes de suas mães. Ao nascerem ainda precisam de mais um tempo para se adaptarem e concluírem algumas etapas de desenvolvimento. Chamamos este período de EXTEROGESTAÇÃO, que significa que o bebê precisa ser gestado fora do corpo da mãe. Alguns estudiosos afirmam que esse período vai até 90 dias do bebê, outros acreditam que seja até os 9 meses. O que precisamos fazer é seguir os nossos instintos e atender às necessidades dos nossos bebês. Sempre que seu bebê solicitar, dê colo, não tenha medo, seu bebê não usará fraldas pra sempre, não andará no carrinho pra sempre. Aos poucos, ele vai crescer, se desenvolver e a necessidade de colo diminuir e os pais vão ajudá- lo a criar habilidades para não ficar no colo o tempo todo, assim como o ajudar a andar, falar, comer, dormir etc.

– Bebês choram, choram muito e por tudo, porque é a única forma de se comunicar que eles têm. Precisamos acolher, aprender a acalmar esse choro. Pode ser com colo, balanço, música, peito etc. Bebês precisam se alimentar de pouco em pouco tempo, pois possuem uma capacidade gástrica pequena e eles não nascem sabendo mamar, a mãe e o bebê precisam de um tempo e de muita ajuda até se ajustarem. Bebês, ficam vermelhos, se contorcem, se esticam, têm muitos gases, não sabem o que é dia ou noite, eles passaram 9 meses dentro da barriga da mãe, rodeados de líquido, no escuro, ouvindo os batimentos e a voz da mãe. Então, entenda que o seu bebê vai precisar de muito colo, amor, paciência e uma dedicação extrema para se adaptar a esse novo mundo.

– O sono noturno começa a ser construído desde o momento em que acordamos. Dormir pouco durante o dia, estar muito cansado, receber muitos ou poucos estímulos, necessidade afetiva dos pais, falta de rotina durante do dia, passar do horário de dormir, ir deitar antes do horário de dormir, insegurança… Enfim, são muitos aspectos a analisar. O importante é ter em mente que tudo que é feito durante o dia irá afetar o sono da noite.

– Bebês não sabem o que é manha. Eles não sabem falar e a única forma de comunicação é o choro, ou seja, se ele está chorando é porque precisa de algo. É muito importante verificar qual a necessidade dele e, se possível, atendê-la. Caso não seja possível, ofereça apoio e acolhimento ao choro. Existem alguns treinamentos do sono que utilizam a técnica de deixar o bebê chorar até que “aprenda” a dormir sozinho. NÃO FAÇA ISSO! Deixar o bebê chorando, sem acolhimento, gera o aumento de cortisol. O excesso de cortisol no cérebro de um bebê pode destruir conexões neurológicas importantes. As partes do cérebro responsáveis pelo controle emocional, caso se percam nessa fase, não se desenvolvem mais. Chamamos esse episódio de ESTRESSE TÓXICO, que ocorre quando a criança experimenta um intenso, frequente e prolongado sofrimento. Este tipo de situação aumenta o risco de estresse e problemas de desenvolvimento até a vida adulta.

– Para melhorarmos a qualidade do sono de um bebê não existe uma “receita de bolo”. É preciso avaliar a criança e sua família como um todo e deixar chorando nunca fará bem ao bebê. Os resultados de uma organização no sono aparecem depois de muita dedicação, paciência e persistência. Desconfie sempre de fórmulas mágicas que resolvem seus problemas em 3 dias.

– Os bebês nascem com a produção de melatonina (hormônio responsável pela regulação do sono) irregular. Esse hormônio só vai começar a se ajustar por volta dos 3 meses de vida e, por isso, o leite materno contém uma grande quantidade de melatonina, produzida pelo corpo da mãe e que passa para o bebê através da amamentação. O leite materno é o melhor e mais completo alimento que existe para o bebê. Então, nada de cair no conto de dar um “complemento” para o bebê dormir melhor.

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *