Aventuras Maternas

Obesidade infantil: Como reduzir o risco de que meu filho fique obeso?

Imagem da WFAA.

Se não houver uma mudança de hábitos, em menos de uma década a obesidade pode atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil, de acordo com o alerta divulgado pela Federação Mundial de Obesidade. Para chamar à atenção da população quanto à necessidade de se combater a obesidade e o sobrepeso que afeta milhares de crianças pelo mundo, o médico generalista Lucas Penchel aponta quais são os principais problemas causados pela doença e ainda explica quais são suas possíveis causas.

Principais causas

A obesidade nas crianças e adolescentes pode se manifestar devido a diversos fatores, como má alimentação,  sedentarismo, maus hábitos de vida e má influência do estilo de vida dos pais.

De acordo com Lucas Penchel, as crianças se espelham nos pais, sendo assim se os mesmos se alimentam de maneira inadequada e não praticam nenhum tipo de atividade física, os filhos acabam seguindo os passos dos adultos. “Por isso é fundamental começar a mudança de hábitos pelos progenitores”, afirma.

O excesso de peso pode provocar o surgimento de uma série de distúrbios que podem aparecer ainda na infância, como colesterol alto, diabetes, hipertensão e problemas osteoarticulares.

Além de causar problemas de saúde, a obesidade infantil pode atrapalhar no convívio social das crianças e influir na geração e desenvolvimento de sérias disfunções psicológicas. Segundo os números da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), de 2012, alunos acima do peso são mais propensas a serem vítimas de bullying na escola.

Como combater o excesso de peso nas crianças

Para a nutricionista materno infantil da Clínica Penchel, Tarciana Teixeira, em um primeiro momento, o principal desafio é fazer com que os pais aceitem mudar suas rotinas. Após isso, é preciso realizar algumas adequações, como uma reeducação alimentar, a inserção de atividades físicas no cotidiano, a retirada ou diminuição do consumo de Fast-Food, guloseimas e alimentos industrializados, e a introdução de alimentos in natura e frutas.

Tarciana recomenda, ainda, que as crianças sejam matriculadas em aulas e esportes que sejam aptas a praticar e tenham maior interesse. “Somente assim, a atividade será prazerosa e proporcionará os benefícios necessários”, conta.

Como mudar a alimentação dos pequenos

Para atrair o interesse das crianças pelas opções saudáveis, alimentos coloridos e em formatos de desenhos ou bichos podem ser boas opções. Além dessas estratégias, a adição de uma iguaria diferente por semana, a fim de ampliar o cardápio dos pequenos, também funciona muito.

A nutricionista salienta que para proceder com uma criança já acima do peso, o tratamento deve ser rigoroso, com o intuito de reverter ou evitar problemas de saúde. Já para prevenir o sobrepeso, os pais devem investir na introdução gradativa da reeducação alimentar na vida de seus filhos, fazendo com que a criança entenda a importância do que está sendo feito.

Informações: Assessoria de Imprensa

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *