Aventuras Maternas

Na volta às aulas, educadora dá dicas de como retomar o ritmo dos estudos

As férias de julho ajudam as crianças ─ e seus pais ─ a darem uma pausa na rotina escolar. Mas o recesso, ainda que curtinho, quebra o ritmo dos estudos e a retomada nem sempre é muito fácil. Então, como lidar com essa situação?

“Em primeiro lugar, é preciso que os adultos ajudem na definição de uma rotina – ou na retomada dela – e que estimulem o momento do estudo, de forma positiva, e não simplesmente dando ordens”, orienta Jane Serrato, coordenadora pedagógica do Centro Educacional Miraflores, no Rio de Janeiro.

A educadora ressalta a importância de fazer isso logo no primeiro dia da volta às aulas, para não deixar que o conteúdo se acumule e o processo se transforme em uma bola de neve. Jane orienta que é importante ter hora e local definidos para a realização das tarefas, criando espaços para o tempo livre.

“Definir junto com a criança quando realizar cada atividade – brincar, dormir, se alimentar e estudar, por exemplo -, e firmar um acordo com ela, é uma receita que sempre funciona bem”, garante.

Suporte

Cabe aos pais supervisionar os exercícios antes e depois da realização. Caso dominem o assunto, é o momento ideal para rever com a criança o que está “errado” ou enviar a dúvida para a professora. E atenção: fazer o dever pelo filho, para ser mais rápido, não é uma opção válida!

“O objetivo principal do dever de casa é a internalização dos conteúdos trabalhados na escola. É uma tarefa da criança e não deve ser encarada como castigo ou ser usada como ameaça com a finalidade de punição”, salienta Jane.

É importante que os pais estejam sempre atentos ao desempenho dos filhos e que não deixem aumentar a dificuldade de assimilação. Ao sinal de dúvida, eles devem  entrar em contato com a equipe de educadores para avaliar o rendimento da criança.

Ambiente adequado, organização e rotina

O local de estudo deve ser tranquilo, com espaço para se ficar adequadamente acomodado e longe de distrações. Todos os materiais necessários devem estar à mão: lápis, tesoura, cola, borracha e apontador; livros, cadernos e outros. Para estabelecer o hábito, é importante procurar manter o mesmo lugar e horário. E se lembrar que a qualidade do estudo não deve ser medida pela quantidade de exercícios.

E nos finais de semana? 

“Esse período deve ser reservado para o lazer com a família. Se a leitura de livros paradidáticos, por exemplo, for encarada como algo prazeroso, é ótimo que faça parte da vida das crianças”, finaliza Jane Serrato.

Informações: Assessoria de Imprensa

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *