Aventuras Maternas

Aventuras Paternas

Há seis anos, o juiz de Direito Luiz Eduardo de Castro Neves se aventurou pela primeira vez na literatura infantojuvenil. O objetivo era ajudar sua filha, de nove anos, a melhorar a compreensão de textos. Para tanto, inventou histórias cheias de bichos para que o aprendizado ocorresse forma lúdica e divertida. O estudo e o amor se misturaram com ótimos resultados. Dois anos depois, ele lançou novos dois livros: “Muito, muito, muito”, uma história infantil que nasceu de uma brincadeira que fazia com seus filhos, e “Uma bacalhoada que mudou a história”, um desvio histórico sobre da vinda da família real portuguesa para o Brasil, com notas de rodapé instrutivas, e que foi um dos livros escolhidos no PNLD 2018.

Mas os filhos cresceram e com eles os desafios. Agora, o magistrado se prepara para o lançamento de quatro livros: “Uma gramática simpática”, da editora Lexikon e outros três sobre a história do Brasil, novidades da editora Philae: “O Brasil quase rimado”, “Uma mentira leva a outra” e “As cartas de Antônio”.

Quando está longe da toga, Luiz Eduardo é um pai presente e preocupado em criar mecanismos que tornem o ensino mais interessante. Apesar de não ser gramático ou historiador por formação, o juiz carioca mergulhou de cabeça nas disciplinas para criar seus novos livros. “Quando meus filhos me fizeram voltar para a escola, me deparei com desafios da língua portuguesa e, fisgado pela matéria, percebi que tinha embarcado na inesperada aventura de escrever uma gramática. De outro lado, sou apaixonado por história e resolvi fazer livros que pudessem contribuir para aumentar o interesse dos meus filhos e de outros jovens na matéria. A educação é o único caminho para o país.”

1 – “Uma gramática simpática” – Editora Lexikon:

Com leveza e bom humor, a gramática aborda as tão temidas regras gramaticas de forma simples, divertida e lúdica. A ideia é oferecer uma abordagem mais fácil e leve para o ensino da língua portuguesa, com pequenas histórias, poesias, exemplos e exercícios com gabarito. Apesar de ser uma gramática mais descontraída, é completa quanto ao conteúdo. Dividida em seis capítulos (sons e grafias, morfologia, crase, sintaxe, morfossintaxe e figuras de linguagem), a gramática foi revisada por Paulo Geiger, renomado editor de livros há mais de 50 anos, e é publicada pela Lexikon, editora especializada em gramática e livros de referência. As ilustrações de Juliana Montenegro tornam a gramática mais simpática.

2 – “O Brasil quase rimado: da Colônia ao fim do Império” – Editora Philae:

Livro didático que pode ser usado como uma fonte de apoio ao estudante e professor durante o ensino da história do Brasil. O livro faz um relato, quase rimado, da história do Brasil, desde o descobrimento até o fim do Império. O texto quase rimado é acompanhado por um breve relato do que se passava no mundo, por linhas do tempo, um álbum de figuras históricas do período e inúmeras curiosidades pesquisadas pelo autor. As ilustrações de Juliana Montenegro aumentam o prazer da leitura. O livro tem o prefácio do historiador Eduardo Bueno.

3 –  “Uma mentira leva a outra” – Editora Philae:

Após o rei D. João VI retornar para Portugal, os portugueses querem que o Brasil volte à condição de colônia, enquanto os brasileiros desejam a nossa independência. A permanência de D. Pedro será decisiva para os destinos do país. Uma mentira é contada para convencer o príncipe a voltar. Só que ela leva a outra, que leva a outra, que leva a outra…

O romance histórico voltado para o público infanto-juvenil, mistura personagens históricos com imaginários para contar a história da independência do Brasil. Para ser também uma fonte de aprendizado, inclui notas de rodapé com referências históricas. As ilustrações de Juliana Montenegro dão charme especial ao livro.

4 – “As cartas de Antônio” – Editora Philae:

Pode a independência do país ser feita pelo filho do rei? Quanto vale o poder? Por que a luta pela liberdade gera tanto sangue? Esses são alguns dos questionamentos que o pernambucano Antônio Viana Barbosa Coutinho é levado a fazer enquanto ele e seu escravo Tobias participam dos principais acontecimentos do Primeiro Reinado. O convívio com nosso primeiro imperador e com outras personalidades relevantes desse interessante período de nossa história cria em Antônio uma permanente inquietação: afinal, D. Pedro I é um herói ou um vilão? O livro possui com notas históricas explicativas, que ajudam no aprendizado. As ilustrações de Juliana Montenegro tornam a leitura mais agradável.

Informações: Assessoria de Imprensa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *