Aventuras Maternas

Amizade x Autoridade – Como deve ser o caminho do meio na relação pais e filhos?

amizadeUma pesquisa norte-americana recente revelou uma nova dinâmica presente nas famílias da geração Y: pais que desejam ser os melhores amigos de seus filhos. De acordo com um estudo de mercado realizado pela The Family Room LLC, 54% dos pais dessa geração, que hoje têm entre 25 e 35 anos, descrevem seus filhos como seus “melhores amigos”. Entre os pais da geração anterior, chamada de geração X, que está na faixa etária dos 36 aos 50 anos, esse número cai para 38%.

Entre as questões levantadas pela análise estava a natureza da interação entre mães e pais da geração Y com os filhos e como ela se diferencia da geração anterior. A pesquisa foi realizada com famílias americanas de diferentes etnias, por meio da junção de dados quantitativos e qualitativa captados pela FocusVision (focusvision.com), especializada em pesquisas estratégicas para marcas, e pela Lightspeed GMI, que conta com um grande banco de dados online.

Acreditamos que por aqui não seja diferente. Observo a relação dos pais com os amigos do meu filho e de amigas que já têm filhos adolescentes e confesso que educo meu filho com uma certa hierarquia, fruto de uma educação rígida, já que estudei toda adolescência no Colégio Militar. Mas ao mesmo tempo, sinto essa vontade natural de ser melhor amiga dele. Este tema gera tantas dúvidas… E quando se pensa em filhos adolescentes, a questão fica ainda mais difícil. Ter uma relação aberta com eles é super importante para ajudar diante de tantas crises que surgem nessa época, mas até que ponto essa abertura não prejudica?

Conversamos com a Coach Aline Gomes, do Mamãe te Apoio, que nos ajudou a tirar algumas dúvidas sobre como funciona essa relação de amizade entre pais e filhos. Confiram!

AM – Por que você acredita que essa forma de pais e filhos se relacionarem mudou?
Aline – AS FORMAS DOS PAIS SE RELACIONAREM COM OS FILHOS VEM MUDANDO HÁ DÉCADAS, PORQUE AINDA ESTAMOS EM BUSCA DO MODELO MAIS SAUDÁVEL PARA AS FAMÍLIAS E PARA A SOCIEDADE. JÁ TIVEMOS A ERA DO AUTORITARISMO EXACERBADO DOS PAIS; JÁ PASSAMOS PELA FASE DA LIBERDADE DESMEDIDA DOS PAIS; ESTAMOS AGORA PROCURANDO COMO É O MEIO DO CAMINHO. AM – É possível manter uma relação de amizade com os filhos e manter uma posição de autoridade? Aline – SIM, É POSSÍVEL TER UMA RELAÇÃO DE AMIZADE COM OS FILHOS E É FUNDAMENTAL MANTER UMA HIERARQUIA NA RELAÇÃO. PARA UM DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL SAUDÁVEL DOS FILHOS É MUITO IMPORTANTE QUE VEJAM OS PAIS COMO FIGURAS MAIORES QUE ELES, APESAR DA AMIZADE.

AM – Quais são os perigos de uma relação onde a amizade entre pais e filhos é o que domina?
Aline – QUANDO NÃO HÁ A HIERARQUIA, A “REGRA”, A “LEI” DENTRO DE CASA, A CRIANÇA SE SENTE PERDIDA E CONFUSA. ENTÃO, EM BUSCA DESSA ORIENTAÇÃO, VAI PROCURAR LIMITES EM OUTRO LUGAR E DA MANEIRA QUE ELES CONSEGUIREM. É POSSÍVEL, ATRAVÉS DA ROTINA, MOSTRAR PARA A CRIANÇA O MOMENTO DA REGRA DOS PAIS. A HORA DO BANHO É HORA DO BANHO E O PAI PODE DEMONSTRAR SUA AUTORIDADE, COM AFETO, NESTE MOMENTO.

AM – Como deixar claro as diferenças entre “liberdade” e amizade?
Aline – A LIBERDADE PODE ESTAR CONTIDA NA AMIZADE. EM UMA RELAÇÃO RESPEITOSA E AMIGÁVEL COM SEU FILHO, VOCÊ PODE DEIXÁ-LO TER AUTONOMIA PARA ESCOLHER ALGUMAS COISAS (COMO A PRÓPRIA ROUPA, O PENTEADO, COISAS QUE SEJAM DELE E PRA ELE). PERMITI-LO FALAR O QUE PENSA E SENTE. ISSO É DAR LIBERDADE. POR OUTRO LADO, DEIXAR A CRIANÇA DECIDIR ONDE PASSARÃO AS FÉRIAS DA FAMÍLIA OU O CARDÁPIO DO JANTAR COM FREQUÊNCIA, NÃO É LIBERDADE. DECISÕES DA FAMÍLIA CABEM AOS PAIS!

AM – O que devemos fazer e o que não devemos fazer para que essa relação seja equilibrada?
Aline – DEVE SER FEITO:
– CRIAR UM ESPAÇO PARA A CRIANÇA FALAR O QUE PENSA E SENTE
– DEDIQUE ALGUNS MINUTOS ANTES DE DORMIR PARA PERGUNTAR COMO FOI O DIA E DEIXÁ-LO FALAR COMO SE SENTIU DIANTE DE DETERMINADAS SITUAÇÕES.
– TRATAR A CRIANÇA COM RESPEITO, SEMPRE! INCLUSIVE USANDO COM ELA AS PALAVRINHAS MÁGICAS QUE TANTO QUEREMOS QUE APRENDA: AGRADEÇA AO SEU FILHO PELOS PEQUENOS GESTOS DIÁRIOS, PEÇA DESCULPAS, DIGA POR FAVOR E COM LICENÇA.
– DIGA, QUANDO FOR NECESSÁRIO: “EU SOU SUA MÃE E VOCÊ DEVE ME RESPEITAR.”

O QUE NÃO DEVE SER FEITO:
– DAR MAIS PODER E FORÇA DO QUE ELA SABERÁ E CONSEGUIRÁ LIDAR
– DAR MAIS RECOMPENSAS DO QUE NECESSÁRIO OU RECOMPENSAR EM MOMENTOS INADEQUADOS.
– FAZER CONFISSÕES AOS FILHOS A RESPEITO DA VIDA ADULTA, DA RELAÇÃO DO CASAL OU DE MEMBROS DA FAMÍLIA. UMA COISA É COMUNICAR À CRIANÇA ALGO IMPORTANTE QUE ESTEJA ACONTECENDO, OUTRA COISA É DESABAFAR COM ELA.

AM – E na adolescência? Quais os lados positivos e negativos da cumplicidade entre pais e filhos?
Aline – POSITIVO: CUMPLICIDADE ENTRE FILHOS E PAIS É SEMPRE BOM! A CRIANÇA OU O JOVEM SABER QUE PODE CONTAR COM OS PAIS É UM GRANDE PORTO SEGURO!

  • NEGATIVO: QUANDO OS PAIS SÃO CÚMPLICES E INTERFEREM NAS DECISÕES. AFINAL, OS PAIS TEM O PODER DE MANIPULAR OS FILHOS.

  • TENHA ATENÇÃO COM ISSO: VERIFIQUE SE NÃO ESTÁ COLOCANDO AS SUAS VONTADES E QUESTÕES À FRENTE DOS DESEJOS E NECESSIDADES DO SEU FILHO; PERMITA FAZÊ-LO PENSAR E AGIR POR SI PRÓPRIO. AS MELHORES ORIENTAÇÕES VEM DAS MELHORES PERGUNTAS E NÃO DAS MELHORES RESPOSTAS.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

1 ComentárioDeixe seu comentário

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *