Aventuras Maternas

Para as mamães: Adeus, olheiras!

“Como a aparência é o nosso cartão de visitas, as olheiras podem transmitir um ar cansado. Por isso, seu tratamento é fundamental para evitar problemas com a autoestima”, aponta Teresa. Para dar início ao tratamento, é preciso identificar qual tipo de olheira é. Divididas entre vascularizadas e pigmentares, a coloração delas é determinante para definir o motivo e o tratamento ideal.

As olheiras vascularizadas costumam apresentar uma cor arroxeada e são causadas pelo acúmulo de vasinhos ou má circulação na região abaixo dos olhos. “Esse tipo costuma estar associado ao fator genético e pode aparecer quando dormimos pouco ou mal. Mas problemas de saúde, como os respiratórios, e tabagismo contribuem para a piora do quadro”, explica Teresa. O outro tipo – as pigmentares – costuma apresentar um tom marrom e é originado devido ao acúmulo de melanina na região. “As olheiras pigmentares costumam estar associadas às pessoas morenas e a algumas etnias, como árabe e indiana”, conta.

Os tratamentos costumam variar de acordo com o tipo e o grau da olheira de cada pessoa. Por isso, a necessidade de procurar um profissional gabaritado para consultar. Quando simples, uma solução temporária pode ser com uma compressa de água morna, além de uma noite de sono de qualidade. Outra boa dica é colocar um algodão molhado com chá de camomila gelado para aliviar as olheiras. “A camomila é anti-inflamatória e auxilia na melhora do aspecto dos vasinhos. No entanto, seu resultado é temporário, indicado para ser feito antes de uma reunião ou festa, por exemplo”, aconselha a dermatologista.

Alguns cosméticos também são indicados para auxiliar na redução do aspecto das olheiras. Porém, como elas são formadas por pigmentos depositados nas camadas mais profundas da pele, a ação dos cremes é limitada. “Produtos com cafeína ou vitamina K são indicados para ativar a circulação na região. Já os cosméticos à base de vitamina C, arbutin, ácido kójico ou fítico são usados para clarear”, diz Noviello.

Em casos mais avançados, o indicado é a realização de tratamentos estéticos. A luz pulsada, que também é utilizada para combater sardas, emite uma luz que gera calor e age nos vasinhos. Já o laser atrai o pigmento do vaso e o destrói. Outra opção é o preenchimento com ácido hialurônico. Indicado para diminuir a profundidade das olheiras, nos casos de sulco lacrimal profundo.

Informações: Assessoria de Imprensa

 

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *