Aventuras Maternas

Perigo no ar

No início de março, o neto do ex-presidente Lula, de 7 anos, faleceu devido a Meningite Meningocócica. A tragédia chamou a atenção para os casos que têm acontecido no país e merece cuidado.

A Meningite Meningocócica é uma doença grave causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo), e é transmitida de pessoa para pessoa por contato próximo (via respiratória). O meningococo apresenta vários sorogrupos na natureza, sendo os sorogrupos A, B, C, W e Y os mais frequentemente associados à doença invasiva, podendo causar meningite e infecção generalizada (septicemia) em qualquer faixa etária. Além disso, a doença meningocócica é frequentemente de evolução rápida, com alta morbidade e mortalidade associadas.

Existem vacinas para a doença e, de acordo com especialistas da Prophylaxis, todas as crianças a partir dos 2 meses de idade devem se vacinar contra o meningoco. “Como a doença não tem predileção por faixa etária, adolescentes e adultos também devem se vacinar”.

São 3 tipos de vacina anti-meningocócica, que são complementares: a Vacina anti-meningocócica C conjugada, a Vacina anti-meningocócica ACWY conjugada e a Vacina anti-meningocócica B. Crianças a partir dos 2 meses de idade, devem receber 2 doses da vacina anti-meningocócica C conjugada (aos 2 e 4 meses) |+ 1 dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade ou 3 doses da vacina anti- meningocócica ACWY conjugada (aos 2, 4 e 6 meses) + uma dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade. Devem receber também 3 doses da vacina anti-meningocócica B (aos 2 , 4 e 6 meses) e 1 dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade. Já os adolescentes de 11 a 15 anos de idade devem receber 1 dose da vacina anti-meningocócica ACWY conjugada e 1 dose de reforço aos 16 anos de idade. Precisam receber também 2 doses da vacina anti-meningocócica B, com intervalo mínimo de 1 mês. E os adultos devem receber 1 dose da vacina anti-meningocócica ACWY conjugada e também 2 doses da vacina anti-meningocócica B, com intervalo mínimo de 1 mês.

Mas é preciso ficar alerta sobre pessoas que não devem ser vacinadas, como as com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre; as com história de reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula); gestantes (somente com liberação médica); e crianças abaixo dos 2 meses de idade.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *