Aventuras Maternas

6 dicas para integrar bebês e cachorros

Uma das principais preocupações que os tutores de cachorro têm ao decidirem ampliar a família é como fazer essa transição de maneira que o filhote de quatro patas não se sinta inseguro com a mudança. Para auxiliar nesse sentido, a DogHero, maior empresa de serviços para cães da América Latina, que através do site e app conecta quem tem cachorro a uma comunidade de passeadores e anfitriões escolhida a dedo, convidou a veterinária Alessandra Amieiro a elencar as principais ações que devem ser tomadas no processo.

De acordo com a profissional, a chave para que dê tudo certo é fazer a mudança de forma gradual. “Se todo o processo for feito com calma e tranquilidade, o cãozinho passa a curtir ter um bebê por perto para ajudar a cuidar e encher de amor, daquele jeito especial que só os cachorros conseguem fazer com a gente”, explica. Confira abaixo as orientações:

1 – Evite que o seu cachorro associe o bebê a coisas negativas: Se o seu filhote de quatro patas não vai continuar tendo acesso a todos os cômodos que ele tem hoje, comece a limitar o acesso dele aos poucos assim que a gravidez for descoberta e só permita a entrada dele com a sua presença. Quanto antes o cão se acostumar com a mudança de rotina melhor, assim ele não vai achar que tudo mudou só pelo bebê.

2 – Ambiente o cachorro com a chegada do bebê: conforme o quarto do bebê for montado, deixe que seu peludo fareje e conheça o ambiente (sempre com sua presença). Os cães costumam sentir que há algo diferente na mãe deles, então também deixe que ele se aproxime da barriga e cheire. Altere aos poucos os horários de comida e passeios dele para os que serão quando o bebê nascer. Continue demonstrando afeto e carinho pelo seu cãozinho, para ele saber que essas mudanças não significam que ele não é mais amado.

3 – Ajude o seu cachorro a se familiarizar com o cheiro do bebê: depois que seu filho nascer, mas ainda estiver na maternidade, peça que alguém leve panos que tenham o cheiro do bebê para o seu cãozinho. Deixo-o cheirar bem e se acostumar. Você pode até deixar o paninho perto de lugares que ele gosta (como perto do pote de comida) e onde se sente seguro (como a caminha). Assim, ele vai começar a associar o cheiro do bebê a coisas prazerosas e boas.

4 – Mantenha em dia a saúde do seu cachorro: garanta que seu cãozinho estará com as vacinas e antipulgas em dia quando o bebê chegar em casa. Isso vai te ajudar a deixá-lo próximo do seu filho sem preocupação. Vale lembrar que diversos estudos mostram que a convivência com cães pode prevenir e melhorar alergias e asma. O único motivo de saúde para não ter um cão seria se a criança tem alergia especificamente ao pelo dele. Nesse caso é sempre bom consultar um médico para conversar sobre o que pode ser feito.

5 – Mantenha o seu cachorro próximo do seu bebê: permita que ele o fareje e se aproxime dele. Tenha calma e faça a aproximação de forma tranquila e também gradual e nunca deixe-os sozinhos, para evitar qualquer acidente.

6 – Inclua o seu cachorro na rotina do bebê: este é um dos pontos mais importantes. Quando estiver cuidando, brincando e alimentando o bebê, deixe que o cão fique perto e esteja junto. Você também pode conversar com ele nessas horas para que ele saiba que continua incluído na família.

Informações: Assessoria de Imprensa

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *