Aventuras Maternas

E a sua mãe?

ser-mae-1Para começar a falar sobre maternidade, creio que se faça necessário entender primeiro a relação com a nossa mãe.

É na nossa relação com a nossa mãe que se começa a construir o nosso papel de mãe e a nossa visão sobre a maternidade.

Se você não conheceu a sua mãe biológica, se teve pouco convívio ou se optou por não ter contato, eu respeito e sinceramente sinto muito por isso. No entanto, vamos precisar considerar essa como a sua primeira relação com a maternidade. Mesmo que você tenha sido criada por sua avó ou por qualquer outra pessoa. Mãe só existe uma e cada um tem a sua – com suas dores e delícias.

Como terapeuta de Constelação Familiar (terapia breve, desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger), tenho acompanhado a importância de aceitarmos a nossa mãe. Seja ela quem for. E quando digo aceitar (“tomar” para a Constelação) quero dizer que é preciso abraçar com a alma tudo o que se passou e como é.

Daí você pode responder me dizendo: “Aline, impossível! Você não sabe o que a minha mãe me fez. Você não sabe do que ela é capaz. Etc, etc, etc…”.

E eu, como todo amor, te convido a analisar a sua vida. Observe cada uma das áreas: profissional, financeira, amorosa, social, familiar, intelectual… Se você não tem a sua mãe em seu coração, acredito que alguma dessas áreas esteja muito capenga!

Enquanto nos acharmos melhores do que nossas mães; enquanto julgarmos as nossas mães; enquanto continuarmos a apontar o dedo para ela, nos sentiremos maiores e isso é a desordem do amor.

Eu entendo que aceitar algumas situações familiares seja muito doloroso. Para isso existem os atendimentos psicológicos. Contudo, todos os atendimentos levarão para o mesmo lugar: da compreensão e aceitação de nossos pais.

É no amor que surgem as soluções. A dor e o medo só servem para nos paralisar e cegar.

Então, quer renovar a sua vida? Quer ter uma relação saudável com seus filhos? Acolha a sua mãe em seu coração! Imagine a sua criança interior sendo ninada por sua mãe.
As almas agradecem!

Com carinho,
Aline Gomes
                     

Sobre o autor Ver todos os posts Website do autor

Aline Gomes

Meu nome é Aline Gomes. Sou Psicóloga, Coach de Mães e Terapeuta de Constelação Familiar.
A Equipe do Aventuras Maternas me convidou a compartilhar um pouquinho da minha experiência com você! Fiquei muito feliz e honrada por isso!
Sendo esse o nosso primeiro contato, acho que é de bom tom me apresentar melhor…
Minha história profissional com a maternidade começou em 2003, quando, ainda estudante de psicologia, fazia avaliação psicológica das babás para saber se estavam aptas emocionalmente para cuidar de crianças.

A partir da Avaliação Psicológica eu desenvolvi um Treinamento de Babás para capacitá-las melhor para os cargos. E o Treinamento acabou se transformando num chamariz de mães em busca de Babás instruídas.
Todo esse movimento fez gerar o meu primeiro filho: em 2005 nasceu o Espaço Cuidar Bem – Empresa de Seleção e Treinamento de Babás.
Desde então eu sempre estive conectada com mães, pais, crianças, babás, vovós, vovôs, madrinhas e etc.
Em 2010 eu engravidei e em 2011 nasceu a minha primeira menina, Maitê. Logo em seguida engravidei novamente e Luna chegou em 2012.
Depois que me vi imersa na rotina de fraldas, mamadas, banhos, choros e incertezas, fiquei curiosa para entender essa tal de maternidade. Queria saber como estavam se comportando as mães em seus lares com suas crias. Não era curiosidade para mera comparação, mas sim para compreensão de comportamento.
Meu interesse foi tanto, que assim que a Luna melhorou do refluxo (aos 8 meses), logo que pude voltei à sala de aula. Queria mesmo entender o que fazia uma mãe pirar na batatinha e a outra ficar super zen.
E será sobre isso que falaremos aqui nessa coluna: comportamento > que leva à compreensão > que leva à paz!
Quero compartilhar e, principalmente, aprender com você! Adoro trocar, ouvir e ler histórias!
Sei que juntas podemos acrescentar na vida de outras mães que ainda não sabem o nome desse trem que as atropelou! ;-) Então, vem comigo nessa…?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *