Aventuras Maternas

7 dicas para praticar o consumo consciente com as crianças

Com a pandemia, e o Brasil estando entre os países com maior número de mortos pela Covid-19, a preocupação com a preservação do meio ambiente ganhou força. Um levantamento feito pelo Instituto Ipsos mostrou que, para 85% dos brasileiros, problemas como degradação ambiental, poluição, desmatamento e mudanças climáticas representam uma séria ameaça à saúde e devem ser tratados como prioridade no plano de recuperação do país pós-pandemia.

A pesquisa ouviu participantes de 16 países, sendo 1000 no Brasil. Hoje, já somamos mais de 7 bilhões de pessoas no mundo que consomem todos os dias e o planeta já deixou claro que estamos em estado de alerta. Precisamos prestar mais atenção na forma como consumimos, caso contrário destruiremos de vez nosso ecossistema.

O consumo consciente é a prática que nos permite continuar com nossas atividades diárias e, ao mesmo tempo, diminuir os impactos de nossas ações. Por isso, há três anos a Leiturinha tem a campanha do “Pequeno Consciente” durante o mês de julho, para incentivar famílias e educadores a introduzir essa questão para os pequenos de forma divertida e com impacto positivo.

Para além das atitudes já amplamente conhecidas, como apagar as luzes dos cômodos desocupados e fechar a torneira enquanto escova os dentes, a Leiturinha reuniu 7 dicas para praticar o consumo consciente em casa, buscando o equilíbrio entre a satisfação pessoal e a sustentabilidade:

1. Compre somente o necessário

Comprar por impulso, fazer estoque de coisas ou alimentos é uma prática altamente prejudicial. Quanto mais adquirimos, mais jogamos fora e, assim, geramos mais lixo. O ideal é fazer pequenas aquisições pré-planejadas para um período específico. Por exemplo: montar o cardápio da semana e reabastecer a dispensa semanalmente, ao invés de mensal. Assim, você evita que alimentos estraguem por não serem consumidos.

2. Opte por embalagens reduzidas ou retornáveis

Quanto mais embalagens tem o produto, mais lixo é gerado. O ideal é optar por comprar itens com menos embrulhos. Por exemplo, se for comprar algo para a família, escolha os maiores: mais produto gerando menos descartes. Quando for uma opção, as embalagens retornáveis são uma ótima escolha, sempre! Um bom hábito, é o de levar sua própria sacola de pano quando for fazer compras. Assim, você evita sacolas plásticas que demoram 450 anos para serem decompostas.

3. Aproveite bem os alimentos

Uma outra dica é aproveitar ao máximo todos os alimentos. Talos, folhas, sementes e cascas podem ser reutilizados e têm grande valor nutritivo. Procure receitinhas e aproveite para variar o cardápio.

4. Separe corretamente o lixo para reciclagem

Um hábito que já se vê em várias casas é a seleção do lixo. Mas, muitas vezes, as pessoas fazem isso de forma errada, o que acaba dificultando a reciclagem. O jeito mais simples de garantir que a coleta seja efetiva, é separar o lixo seco (embalagens, plástico, papéis, alumínio, vidro, etc.) do lixo orgânico (restos de comida, alimentos estragados, etc). Porém, o maior ponto de atenção é: um material reciclável perde esta característica se teve contato com contaminantes, como óleos, graxas, cola, solventes e outros. Isso porque a remoção dos contaminantes dificulta e até impossibilita a reciclagem. Portanto, a correta separação dos materiais é essencial para que o processo de reciclagem seja bem sucedido.

5. Faça seus próprios brinquedos

Como o mote da vez é a palavra sustentabilidade, produzir os próprios brinquedos, além de ser super divertido para os pequenos, ainda ajuda a diminuir a produção de lixo e reduzir o uso de plásticos, – um dos principais materiais utilizados para fabricação desses itens – por exemplo, que demora cerca de 400 anos para se decompor.

Com produção exclusiva no PlayKids App, a série SuperHands ensina as crianças a fazerem diferentes brinquedos, usando apenas materiais comuns que temos em casa, como tinta, canetinha, tesoura, cola e muita diversão. O PlayKids App está disponível para iOS e Android.

6. Não jogue no lixo, doe

Brinquedos, móveis, livros, roupas e outras coisas que não são mais usadas, podem servir à outras pessoas! Portanto, ao invés de jogar fora, doe. É muito comum, entre as mães, compartilhar itens que não servem mais para seu pequeno e, também, receber outros que já não servem. Mas, se esse não for o seu caso, encontre brechós, sebos ou uma entidade beneficente que possa direcionar o seu descarte. Além de você fazer uma boa ação, ainda preserva o meio ambiente!

7. Plante uma horta em casa

Preparar o lugar, escolher as sementinhas, pesquisar quais as melhores opções para cada época do ano, plantar, cuidar, ver brotar, colher e preparar uma receita para comer em família, colabora com o fortalecimento do vínculo afetivo entre os responsáveis e as crianças, além de beneficiar o bem-estar de toda a família. No clima do Pequeno Consciente, a Leiturinha preparou o eBook “Horta Caseira: Aprenda como cultivar alimentos com as crianças” para ensinar as famílias a começar suas hortas.

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *