Aventuras Maternas

SBOT alerta sobre peso de mochilas e postura adequada no ensino remoto

Em um momento em que o ensino à distância se mescla com o ensino presencial em todas as escolas brasileiras, a SBOT – Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia alerta sobre os cuidados com a postura adequada na frente do computador e o peso das mochilas escolares. 

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) com estudantes, responsáveis, professores e gestores da rede privada e pública, mostra que dos mais de cinco mil participantes, 40% preferem o modelo híbrido de ensino, ou seja, a mescla de aulas remotas e presenciais. 

De acordo com a SBOT, esse revezamento do on-line com o presencial impõe além de todos cuidados de higienização e distanciamento, dois pontos: as mochilas pesadas para quem está na escola e a postura diante do computador para quem está na aula on-line.

Segundo Jean Klay, coordenador da Comissão de Campanhas Públicas da SBOT, os ortopedistas alertam que mochilas com mais de 10% do peso da criança podem causar problemas na coluna. “Além das mochilas, neste ano, nos preocupamos também com a postura da criança na frente do computador. Nossa missão é levar informação à população geral e tentar, de alguma forma, protegê-la nesse novo momento”, explica Jean Klay.

O excesso de peso das mochilas escolares muda a postura, a criança tende a caminhar um pouquinho curvada e os músculos do peito se encurtam, os das costas ficam mais fracos, pode haver um desvio do alinhamento e no futuro a qualidade de vida será afetada. 

A SBOT orienta que: 

  • Não carregue na mochila mais do que 10% de seu peso;
  • Nunca carregue as mochilas com apenas uma das tiras passada pelos ombros, pois isso pode provocar desvio na coluna (escoliose);
  • As tiras devem ser tensionadas para que a mochila fique bem junto ao corpo, e cinco centímetros acima da linha da cintura.

Com a pandemia da COVID-19, outro fator que preocupa a SBOT é a postura na frente do computador, celular ou tablet durante as aulas remotas. As doenças ocupacionais são a maior causa de afastamento no trabalho e atualmente podem ser encontradas até mesmo nos jovens que, por sua vez, estão estudando em casa e ficam por um longo período na frente das telas. 

Para que o estudo remoto não cause dorsalgias, distúrbios osteomusculares ou transtorno das articulações é preciso ficar atento à postura, assim é recomendado: 

  • o uso de cadeiras com encosto adequado e que apoie o dorso 
  • apoie seus pés no chão ou em um suporte apropriado que deixem o joelho em um ângulo maior que 90°, isto reduz a pressão sobre as costas;
  • os punhos devem ficar em posição reta ao digitar. 

Além da postura e dicas de como se portar durante as aulas, as recomendações incluem uma boa alimentação, assim como atividades físicas e alongamento regulares para manter a boa saúde física e mental dos jovens e crianças.  

Campanhas públicas com foco na população  

Através da Comissão de Campanhas Públicas e Responsabilidade Social, a SBOT divulga diversas orientações através do Dr. SBOT, personagem criado para promover recomendações de maneira didática e objetiva. Confira aqui as orientações da SBOT para trabalhar ou estudar com segurança. 

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *