Aventuras Maternas

Como os pais podem ajudar na hora do corte de cabelo?

Os salões de beleza voltados exclusivamente para crianças estão cada vez mais na moda, e atraem os pequenos principalmente pelo ambiente lúdico, e seus profissionais especializados em lidar com os pequenos e deixá-los com cabelos de príncipes e princesas.

Mas, mesmo com todos esses atrativos, o sucesso do corte pode depender de atitudes simples dos pais que devem começar ainda em suas casas.

Conhecer a rotina diária do seu filho é um dos principais segredos, segundo a psicóloga Bianca Isidora, responsável pelo treinamento da equipe do Salão Brinque & Corte, localizado na Torre do Norte Shopping, na Zona Norte do Rio de Janeiro. “A criança, dependendo da sua faixa etária, terá um tempo menor de atenção concentrada. Pontos simples de organização das atividades da família, sendo observados, ajudam a garantir o sucesso nesta vivência”, completa a psicóloga.

Ainda segundo Bianca, a ida ao salão em momentos que a criança pode não estar disponível, acabam gerando uma experiência negativa. Fazendo com a atividade vire um fardo para eles e para os seus pais. Por isso, se torna extremamente importante saber identificar o momento em que a criança, com frequência, se encontra mais disposta. “Se a família for fazer compras, por exemplo, é interessante que a criança corte o cabelo antes das compras. Outro exemplo é se o horário escolhido para o corte for o horário em que a criança costuma dormir, ela consequentemente estará mais indisposta.”, alerta a psicóloga.

Outra dica valiosa da profissional para baixar os níveis de ansiedade, tensão e medo é a observação, por parte da criança, de outros “coleguinhas” passando pelo mesmo processo. “Quando uma criança visualiza outra criança sendo cuidada, ela se identifica com a proposta do ambiente porque não se vê mais sozinha passando pela a atividade.”, explica Bianca destacando também a importância do treinamento adequado dos profissionais de beleza infantil.

Resumidamente, três pontos são fundamentais:  os funcionários internalizarem que são profissionais que trabalham com crianças, o exercício da concentração dos profissionais e a participação do responsável no momento da atividade ser considerada, fazendo com que a criança possa se sentir mais confortável e segura”.

Para a administradora do salão Brinque & Corte, Sandra T., evitar dias em que a criança foi vacinada, e horários em que ela esteja com fome e/ou sono, cansada e/ou irritada, também podem ajudar muito. “Alguns pais não levam essas questões em consideração, o que pode dificultar o desenvolvimento do trabalho do profissional, e consequentemente o resultado do serviço”, conclui Sandra.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *