Aventuras Maternas

Uma triste história de um pai ausente

Dilkarra Photography

Dilkarra Photography

Esses dias escutei uma história de uma mãe que me deixou muito abalada. Um casal novo, casado há pouco tempo, se deparou com uma gravidez. A moça desejava muito ser mãe e, por problemas de saúde, tinha uma dificuldade para engravidar. Após ter a notícia positiva se viu em um misto de alegria e apreensão, pois teria que ter muitos cuidados para levar a gestação até o final. Em seguida veio uma notícia ainda mais avassaladora: a gravidez era de gêmeos! Eu, particularmente, gelei. Imaginei a minha situação, que mal consigo dar conta de um. Imagina dois, ao mesmo tempo! Mas, apesar de todos os desafios, a menina ficou muito feliz.

Passado um tempo, eu tive notícias novamente do casal. Os bebês nasceram super saudáveis, um menino e uma menina, que hoje estão com 3 meses. Mas o que me chamou atenção foi que o pai das crianças não está mais presente. Ela me contou que eles se separaram bem antes do nascimento, por conta de uma traição dele. Mas o pior não é isso. Eles estão brigando na justiça pela pensão, ele tirou cartão de crédito dela, plano de saúde e quer tirar o apartamento. Oi?????

Então vamos lá. O cara trai a mulher dele, grávida de gêmeos; abandona ela antes das crianças nascerem, ou seja, ela não teve o apoio dele no momento mais difícil dela (se com um bebê é difícil, imaginem dois!!!); e ela ainda tem que cuidar de dois com esse turbilhão de problemas e ele tirando tudo o que dá segurança pra ela? Que tipo de homem é esse??????

Tá certo que não me aprofundei muito do que aconteceu entre eles. Não posso julgar neste episódio, porém uma coisa não se pode negar: ele não teve o mínimo de sensibilidade, bom senso e solidariedade nesta situação. Ela estava grávida, deu a luz a gêmeos, imaginem como deve estar física e psicologicamente!?

Só para se ter uma idéia cada recém-nascido tem, em média, 8 trocas de fraldas por dia, ou seja, pelo menos 16 vezes no seu dia você vai fazer isso. Fora dar de mamar, fazer arrotar, dar banho… Tudo em dobro! É preciso uma ajuda (pelo menos de uma pessoa a mais) no começo. Afinal, você pode se deparar (o que é comum) com dois bebês chorando ao mesmo tempo, ou quando um estiver dormindo o outro começar a chorar e por aí vai. Ou seja, se como mãe de um eu quase não dormia, de dois então….

Por isso, em uma gestação normal ou de gêmeos, a presença de um pai atuante é fundamental. Ele pode ajudar a trocar a fralda, dar banho, qualquer coisa que dê uns 15 minutos de descanso para a mãe. Tem coisas que não tem jeito…por mais que o pai seja presente, é a mãe que tem que acordar de 3h em 3h para amamentar. Ter ajuda da mãe ou alguma empregada é também um bálsamo, mas nem todas as mulheres têm essa possibilidade.

Por essas e outras que eu acho um crime o que esse pai (se é que posso chamar essa cara disso) fez com a mulher dele e com os filhos. Infelizmente existem muitos casos assim, o casamento acaba e fica o rancor e a mágoa. A vingança respinga nos filhos. Será que ninguém percebe isso??

Por isso que a questão da guarda compartilhada ainda é tão discutida, mas isso é papo para outro post. Até a próxima.

                  

Sobre o autor Ver todos os posts

samyleal

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *