Aventuras Maternas

Boas Noções de Práticas de Higiene

alimentos frescos
Cozinhar em casa é sempre uma proposta interessante, pois só assim, você terá quase total controle sobre o processo de fabricação de uma refeição do seu pequeno: escolhendo ingredientes de qualidade e utilizando boas práticas de higiene, coisa que realmente não tem como garantir quando se está comendo fora de casa. Além de ser muito mais em conta!

Higiene pessoal é essencial! Lavar bem as mãos inclusive debaixo das unhas! Outra opção é usar luvas (tipo médico). Lembre-se que se estiver doente, você deverá lavá-las com mais frequência. Como regra, quando estou cozinhando, sempre que toco meu rosto por algum motivo qualquer, lavo as mãos.

Aliás, gosto de começar a cozinhar com a cozinha bem limpa e, inclusive, limpo as superfícies com álcool 70.

Vou dar várias dicas de limpeza nesse meu espaço aqui e hoje vou começar falando do risco de contaminação por bactérias. Tomem nota:

tabuas de corte – Dentro de importantes restaurantes ao redor do mundo são usadas tábuas coloridas e para cada tábua: uma cada categoria de ingredientes. A placa vermelha: indicada para corte de carne crua. A placa verde: indicada para corte de frutas, legumes e verduras. A placa azul: indicada para corte de peixes e frutos do mar. A placa bege: indicada para corte de carnes cozidas & assados e embutidos. E a placa amarela: indicada para corte de aves.

A ideia dessa divisão por cores é não cortar frango cozido na mesma tábua em que se cortou frango cru, por exemplo. Pois se a carne crua tiver algum tipo de contaminação não será passado para outros ingredientes cortados ali.

Além disso, lembre-se de comunicar a todos como limpar essas tábuas. Isto é: esfregando bem com detergente e água quente. Uma vez por semana é interessante emergir em água sanitária (siga as orientações da embalagem) em especial a tábua de carne crua. De tempos em tempos, observe se as tábuas estão muito gastas e se for o caso troque por uma nova!

  • Alimentos com altas doses de proteína são as preferidas das bactérias, especialmente carnes cruas ou cozidas, aves e laticínios. Esses alimentos contém nutrientes e umidade ideais para a proliferação de microorganismos.

Outro fato importante é atentar para os alimentos de alto risco, aqueles que  são pré-prontos, que não necessitam de cozimento para consumo. Eles devem ser mantidos longe de alimentos crus. Em geral, são comidas ricas em proteína. Eis alguns exemplos:

  • carnes e aves cozidas;

  • Produtos feitos de proteína cozida como patés, pastas, ensopados, empadas de carne.

  • Leite, creme de leite, creme de leite artificial, queijos “macios” tipo gorgonzola e produtos

laticínios.

  • Ovos e produtos feitos com ovos crus como mayonnaise, mousses, tiramisú etc.

  • Frutos do mar e peixes

  • E arroz cozido.

Todos os exemplos acima são frequentemente a causa de intoxicação alimentar, em especial aves cozidas, produtos feitos à base de ovos crus e carnes cozidas. Infelizmente, comidas contaminadas no geral tem aspecto, gosto e cheiro normais. E para descobrir que houve contaminação desses alimentos seria necessário fazer exames laboratoriais. Carne crua que vai ser cozida não é considerada uma comida de alto risco, pois bactérias que causam intoxicação alimentar serão destruídas no processo de cozimento.

  • Alimentos considerados de baixo risco são aqueles que contém pouquíssima água ou umidade em suas fórmulas ou que contém altos índices de açúcar, sal, ácido (vinagre) e outros conservantes. Porém, ao adicionar líquidos, se tornam de alto risco. Daí a necessidade de refrigeração como no caso do leite feito à base de leite em pó.

  • Comida cruas prontas para ser consumidas, como alface ou frutas podem estar contaminadas com doses baixas de patógenos como E.Coli e outros vírus. Portanto, precisam sempre ser lavadas em água corrente antes de seu consumo. Quando lavo costumo deixar de molho também com produtos próprios para limpeza de saladas ou vinagre.

Acreditem, já soube de casos de intoxicação alimentar causadas por melões, tomates, framboesas, espinafre e alface.

  • Outro fator muito importante quando se está combatendo a prolifração de bactéria maligna é o fator tempo e temperatura. Sob as condições certas como tipo de alimento, umidade e temperatura, alguns tipos de bactéria podem se dividir em dois grupos em 10 minutos. Se houver tempo suficiente, a bactéria pode se multiplicar tanto que pode causar intoxicação alimentar. Ou seja tente manter alimentos de alto risco o mínimo de tempo possível na zona de perigo.

  • Existem diversos tipos de bactérias que podem contaminar a comida, não vamos por enquanto entrar em todos os detalhes, somente aprender como evitar. Essas são informações que nunca vi em programas de culinária, mas que são essenciais visto que entrar em contato com esses meios de intoxicação alimentar podem provocar reações muito desagradáveis, inclusive morte, especialmente, em crianças pequenas e idosos.

  • Há ainda o que chamam de zona de perigo isto é entre 63 graus e 5. Ou seja, geralmente, quando a comida está esfriando e morna. Para evitar isto é necessário esfriar a comida rapidamente ou manter a comida a uma temperatura acima de 63 graus (quente).

Então, se você for a um restaurante com a sua família e o prato de todo mundo veio quente, menos o seu, você precisa mandar o prato de volta, pois se consumir aquela comida, o risco de te fazer mal é grande. Afinal, você não sabe quanto tempo aquele prato ficou ali esperando até que os outros pratos ficassem prontos! Nunca coma comida morna. Sempre aqueça bem a comida antes de comer. E fique de olho nos buffets a quilo. se não tiver vapor saindo dos pratos quentes talvez seja melhor não consumir!

  • Lembre-se de comprar ingredientes de boa qualidade. Se você por acaso tiver um açougueiro (o que é raro nos dias de hoje), ou uma seção de carnes de algum supermercado onde dê para sentir um cheiro de sangue de carne, não compre lá! Sabe lá quais as praticas de higiene do estabelecimento? Também confesso que não consigo pensar em comprar carne, ovos ou frango na feira. Pessoas passando, aquele monte de carne ao ar livre, moscas voando por toda parte faça calor ou frio… Essa idéia me deixa até meio enjoada só de pensar.

frango cru

Essas informações foram obtidas através de um curso de boas praticas de higiene que eu fiz quando trabalhava em restaurantes finos de Londres. Acredito que são muito úteis para mães que querem manter seus filhos livres de infecções gástricas.

Sobre o autor Ver todos os posts

Zoe Shorter

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *