Aventuras Maternas

Está de olho na papinha do neném? Veja o que é bom para mãe e filho!

mingau de bananaAmamentação já dá uma fome danada e, por mais que você esteja com uns quilinhos a mais, contando os minutos para perdê-los, quando o bebê começa a comer, é praticamente impossível pensar em qualquer outro assunto, se não em comida e no que fazer para ele comer a cada três horas. Resultado: quando se dá conta
já caiu de boca no petit suisse da criança ou na bananinha amassada com leite e aveia no meio da tarde.

Quer resistir? Opte por uma alimentação livre de calorias desnecessárias tanto para vocês quanto para eles. E aproveite para aprender a se alimentar melhor com seu filho. Confira as dicas que funcionaram por aqui:
  • Frutas. Frescas, saudáveis e seu docinho natural!
Dispensa de casa onde vive um bebê ou criança é dispensa com frutas. Aproveite este maravilhoso grupo alimentício para comer duas vezes ao dia. Na hora que der vontade de comer um docinho ou quando estiver com fome. Os nutricionistas eventualmente nos lembram do poder da fruta na perda de peso e o hábito só vai fazer bem para a mamãe e bebê. Pense assim: fruta é o novo biscoito recheado.
Mas cuidado com as combinações de frutas com grande potencial calórico, como a banana ou o açaí. Evite acrescentar mais açúcar ou carboidratos, para não exagerar na dose.

Outro cuidado é consumir as frutas in natura, por trazerem a frutose combinada com fibras, minerais e vitaminas. Em forma de suco, a absorção da frutose é mais rápida e aumenta as doses de açúcar no sangue.

  • Papinha magra para a mamãe, papinha saudável para o neném
 No lugar de aproveitar para dar uma colherada durante a feitura daquela frutinha amassada com iogurtes ou leite e farinha láctea, dispense os outros ingredientes e opte apenas pela fruta amassada com canela para você. Alimenta e acelera o metabolismo.
  •  Meu filho é natureba!
Essa dica é simples. Quem foi que disse que seu filho tem que se empanturrar de guloseimas gordas e industrializadas? Você não é mais daquelas que acreditam que bebê saudável é bebê roliço, ou é? Consulte o seu pediatra! O mais saudável para ele são aqueles mesmos alimentos bons para você. Só que em quantidades e feitura diferentes. E falando nisso, aproveite para diminuir o sal também, assim como aumentar o consumo de alimentos cozidos.Experimente comer a mesma coisa que ele por uns tempos, em consistência diferente ou até na mais pastosa mesmo, se gostar. Na temporada mais fria do ano, dá vontade de sentir um calor de mãe nos alimentos.Vale perceber que neste momento da sua vida, você está muito mais próximo daquela dieta saudável que há muito não conseguia fazer. Aproveite e compartilhe!
  •  Pegue carona nas tais três em três horas da criança e acrescente a famosa Colação que os nutricionistas defendem à sua vida.
 É sempre uma dificuldade lembrar de comer de três em três horas diante da vida corrida, não é mesmo? Mas, agora que você é mãe e não pode, de forma alguma, descuidar-se dos horários do seu filho, você não precisa se descuidar dos seus também.
  •  Quantidades mínimas
Se ainda assim, todas estas dicas não surtiram efeito e você não resistiu em comer a papinha de farinha dele, uma colherzinha já é o suficiente para desfalcar o pequeno lanchinho do seu filho e para satisfazer sua saudade. O mesmo vale para a papinha dele. Se você já comeu, esqueça a ideia de raspar o prato dele. Faça
a quantidade certa pra ele, o máximo que vai lhe sobrar é uma garfadinha mínima sem efeitos abdominais.
  •  Sem frituras, doces e refrigerantes.
 Do trio do mal, é mais difícil resistir aos doces, porque nada substitui uma lata de leite condensado. Mas se sabemos, que frituras e refrigerantes não trazem nenhum benefício para a nutrição dos nossos filhos, para que apresentá-los ao cardápio dos pequenos? E se eles não comem, como daremos o exemplo positivo, se comermos na frente deles? Aproveite essa desculpa, para abolir esse hábito da sua vida.
Já os doces, reserve-os para os dias de festa e deguste apenas um ou dois, apenas para saciar a vontade e não para tirar a barriga da miséria.
Para finalizar, consulte sempre um nutricionista e o pediatra do seu filho. Usei essas dicas para mim e meu filho e perdi os 22 quilos que ganhei na gestação e alguns a mais apenas mudando a alimentação, com escolhas mais saudáveis. Me inspirando nele, encontrei um jeito de organizar minha agenda alimentar, assim como melhorar o cardápio de toda a família.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *