Aventuras Maternas

Como recuperar a vida sexual no pós-parto?

Vida Sexual no pós-partoApós o parto, o corpo da mulher passa por um período de recuperação que dura em média 40 dias. Mas essa transformação não se atém apenas à parte estrutural. A constante oscilação hormonal dessa fase também pode causar insônia, mudanças de temperatura corpórea e inclusive a diminuição da libido e da lubrificação vaginal. Resultado: você não tem vontade de manter uma relação sexual ativa com o seu marido. Aliás, não é realmente indicado manter relação nesses primeiros dias, porque existe o risco de infecção, já que o processo de cicatrização pós-parto ainda não está finalizado.

Vamos às explicações! Segundo a ginecologista e obstetra Erica Mantelli (CRM 124.315), a placenta é uma das fontes de produção de hormônio na gravidez e quando ela é expelida acontece uma queda nos níveis hormonais e, assim, começa o processo de amamentação. “É nessa fase que pode ocorrer uma leve atrofia dos órgãos que dependem de estrogênio, como é o caso da vagina, que apresenta atrofia de suas mucosas e também ocorre a diminuição da lubrificação, causando desconfortos durante a relação”, explica.

Mas a culpa não é só dessa mudança fisiológica. Psicologicamente, o fato de você agora ser mãe também pode influenciar na falta de interesse pelo sexo. “A mãe coloca o bebê como prioridade, principalmente porque ele é recém-nascido e depende dela, deixando de lado as vontades do companheiro”, afirma a ginecologista.

A médica destaca ainda que o casal deve esperar por um período, normalmente até o médico liberar a mulher para as relações sexuais. “O ideal é aguardar entre 40 e 60 dias após o parto. Logo após o parto a mulher libera uma secreção vaginal chamada loquiação e, caso haja um contato sexual com o homem, ambos podem sofrer infecções”, disse. Nessa fase a penetração também pode ser dolorosa, além de aumentar o risco de a mulher desenvolver algum tipo de contaminação no útero, pois o colo do útero muitas vezes não está completamente fechado.  “O casal deve ter consciência que o fato de não ter penetração não significa que eles precisam evitar qualquer tipo de contato. Tanto a mulher como homem podem fazer carícias,o que faz bem para a relação”, aconselha.

Outra preocupação do casal é sobre a mudança no sexo e se ele vai ser menos prazeroso com a chegada do filho. A libido da mãe e do pai pode ser modificada devido à nova rotina da casa. Choros do bebê e preocupações podem afetar o desejo sexual do casal. “Mas isso não precisa interferir na relação do casal, principalmente se tiverem o hábito sempre de conversar a respeito de como eles podem preservar a vida a dois”, sugere a ginecologista.

É normal sentir desconfortos nas primeiras relações?

A falta de lubrificação pode dificultar o sexo e causar dor e desconforto. “Com o retorno da menstruação, os hormônios se estabilizam e o sexo pode voltar a ser prazeroso”, diz a médica. Além disso, outros fatores como noites mal dormidas, cansaço e baixa autoestima devido à insatisfação com o corpo também podem dificultar a relação.

Agora, se você percebeu que o seu prazer reduziu – e muito -, vale a pena procurar ajuda de um especialista. “O ideal é esperar até os hormônios se estabilizarem, mas, enquanto esse momento não chega, o casal pode lançar mão de produtos lubrificantes vaginais e técnicas de relaxamentos, grandes aliados da libido”, recomenda a ginecologista.

Vá devagar, encontre uma posição confortável e se acostume com as interrupções que poderão acontecer daqui pra frente quando o bebê chorar. “Especialmente a mulher deve esquecer-se das preocupações na hora do sexo. Algumas delas depois do parto sentem mais facilidade em atingir o orgasmo. A dica é relaxar e aproveitar o momento a dois”, finaliza Erica Mantelli.

vida a doisCoach de Relacionamentos dá algumas dicas

Conversamos também com a consultora Suzana Leal, que lembra algumas informações de comportamento que podem ajudar a retomar o prazer a dois e  não esfriar o relacionamento homem-mulher. Tomem nota!

  •  Ele não é apenas pai

Passando os dois meses de resguardo, olhe com olhos bem atentos para aquele que está ao seu lado e lembre-se que ele é o “seu homem” e não somente pai do seu baby.

  •  Dia de namoro

Tenha um dia de namoro! Esforce-se para planejar que pelo menos uma noite no meio ou no fim da semana seja dedicada apenas a vocês dois.

  •  Lingerie sexy

Troque a cinta e o sutiã de amamentação. Arrume-se com roupas e lingeries mais ousadas e que passem ao largo da triste impressão: “Eu estou  mamãe, portanto sou bege e sem nenhum sex appeal”. Isso não é importante para seu parceiro, mas sim para você. Uma lingerie sensual ativa sua autoestima e proporciona automaticamente uma sensação de que você está mais sensual.

  • Mulher completa

No dia da semana em que vocês ficarem a dois, evite contar quantas mamadas deu e o número de fraldas que o neném sujou. Também não fale com aquela voz de bebê que você usa com seu pequeno. Mostre para seu marido ou companheiro que você é muito mais do que mãe, continua sendo uma mulher completa.

  •  Evite usar “pai” e “mãe”

Para se sentirem de novo HOMEM e MULHER, é bom evitar chamarem-se de “mãe” e “pai”. Acredite! Pode baixar o tesão a longo prazo. Deixe esse tratamento somente para o pequeno.

  •  Clima de paquera

Mude de cenário, saia para um barzinho à luz de velas e com música. Voltem ao estado de total encantamento e paquera.

  •  Relaxe e ame muito

Na hora do amor, não deixe que ele tenha medo ou pudor de trocar carinhos mais calientes. Mostre-se muito fêmea e bastante disposta a retomar a vida sexual que tinham antes da gravidez. Sinta-se contente e realizada.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

1 ComentárioDeixe seu comentário

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *