Aventuras Maternas

Quando o problema está além do físico

transtorno-bipolarAtualmente, com todas as tecnologias existentes, é quase impossível alguém não se inteirar sobre algum assunto que queira saber mais profundamente. Culinária, educação, política etc, tudo pode ser pesquisado na rede de computadores. E, para os pais, alguns assuntos normalmente chamam mais a atenção, como a saúde de seus filhos. O filhote está com cólica? Dá um ‘google’ para saber como melhorar. A febre está acompanhada de coriza? O Google responde também. Embora nem tudo seja resolvido pelo Google, algumas pesquisas se mostram de enorme valor para descobrir algo realmente desconhecido, como é o caso da bipolaridade.

Algumas doenças podem não ser facilmente identificadas, especialmente quando tais sintomas envolvem o comportamento dos pequenos, e não exatamente algo físico, como febre ou gargantas inflamadas. Você já se viu perguntando por que seu filho está tendo uma atitude agressiva se sempre foi tratado com carinho? Como ele pode estar triste se a vida só lhe apresenta coisas boas? Se a resposta for sim, é bom estar atento a outras características, pois seu filho pode estar apresentando traços de depressão, bipolaridade ou outra doença neurológica.

C.D., mãe de um homem de 35 anos, prefere não se identificar, mas conta que o filho começou, há pouco tempo, a apresentar agressividade acentuada, especialmente com familiares. Divorciado e sem filhos, era o chamado bon vivant. Bonito, estável profissionalmente e extremamente inteligente, tinha a vida que todos sonhariam. Até que depois de um negócio ter falido, mudou completamente de comportamento. “Ele, que sempre foi super responsável, passou a se isolar e a agredir a todos. Achávamos, eu e meu marido, que fosse para chamar a atenção. Até que ele tentou o suicídio. Ficamos desesperados e procuramos ajuda psiquiátrica. E depois de horas de conversa com o médico, descobrimos que ele era bipolar. Hoje, está tratando com remédios e parece melhor a cada dia. Mas percebemos, depois de ler muito sobre o assunto, que os sintomas estavam todos ali, desde criança. Fechamos muitas vezes os olhos para pequenos problemas comportamentais que classificamos como mimo ou excesso de busca por atenção. Mas é preciso ficar atento. Há 35 anos não tínhamos a internet para pesquisar. Se fosse hoje, certamente, eu acharia algo e me prepararia para o que é esse problema. Eu sempre falo com meus outros filhos para ficarem atentos a qualquer sintoma nos meus netos. A bipolaridade é algo mutio sério, não se trata apenas de alterações de humor”, explica C.D.

Ao menor sintoma, o ideal é sempre procurar um médico para conversar. Afinal, íntima e psicologicamente envolvidos, alguns pais podem, sem querer, mascarar o problema. Por isso, fique atento a lista a seguir, adaptada do livro “The Bipolar Child” e divulgada pelo site do Drauzio Varela. Se seu filho apresentar mais de 20 sintomas, chegou a hora de conversar com um especialista.

 

1- Fica aflito demais quando separado da família;

2- Demonstra ansiedade ou preocupação excessiva;

3- Tem dificuldade para levantar-se pela manhã;

4- Fica hiperativo e excitável à tarde;

5- Tem sono agitado ou dificuldade para conciliar o sono;

6- Tem terror noturno ou acorda muitas vezes no meio da noite;

7- Não consegue concentrar-se na escola;

8- Tem caligrafia pobre;

9- Tem dificuldade em organizar tarefas;

10- Tem dificuldade em fazer transições;

11- Reclama de sentir-se aborrecido;

12- Tem muitas ideias ao mesmo tempo;

13- É muito intuitivo ou muito criativo;

14- Distrai-se facilmente com estímulos externos;

15- Tem períodos em que fala excessiva e muito rapidamente;

16- É voluntarioso e recusa-se a ser subordinado;

17- Manifesta períodos de extrema hiperatividade;

18- Tem mudanças de humor bruscas e rápidas;

19- Tem estados de humor irritável;

20- Tem estados de humor vertiginosamente alegres ou tolos;

21- Tem ideias exageradas sobre si mesmo ou suas habilidades;

22- Exibe um comportamento sexual inapropriado;

23- Sente-se facilmente criticado ou rejeitado;

24- Tem pouca iniciativa;

25- Tem períodos de pouca energia, ou alheamento, ou se isola;

26- Tem períodos de dúvida sobre si mesmo ou de baixa estima;

27- Não tolera demoras ou atrasos;

28- Persegue obstinadamente suas próprias necessidades;

29- Discute com adultos ou é mandão;

30- Desafia ou se recusa a cumprir regras;

31- Culpa os outros por seus erros;

32- Enerva-se facilmente quando as pessoas impõem limites;

33- Mente para evitar as consequências de seus atos;

34- Tem acessos de raiva ou fúria explosivos e prolongados;

35- Tem destruído bens intencionalmente;

36- Insulta cruelmente com raiva;

37- Calmamente faz ameaças contra outros ou contra si mesmo;

38- Já fez claras ameaças de suicídio;

39- É fascinado por sangue ou coágulos;

40- Já viu ou ouviu alucinações.

            

Sobre o autor Ver todos os posts

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *