Aventuras Maternas

Escolhi viver

article_13838497144

Como diz o ditado: A vida é uma caixinha de surpresas! Desde que descobri meu câncer meu modo de ver as coisas, de agir e de pensar mudou. É uma mudança lenta, em passos de formiga, mas o fato é que passei a dar mais importância ao que realmente importa: meu filho, meu marido, minha família, meus amigos, meu trabalho. Mas sem aquela culpa, aquela ansiedade de ser perfeitinha. Passei a ver minha doença não como um fardo, mas como um obstáculo, um desafio. Procurei nela as respostas para me conhecer, para estabelecer meus limites. E o mais importante, encontrei nela o amor, a amizade, a solidariedade. Agradeço a Deus pela doença, que me fez amadurecer e a conhecer (e viver) de fato o real conceito de felicidade.

Depois de todas essas descobertas, ontem fiz a mais importante de todas: não vou ter que fazer quimioterapia! Depois de duas cirurgias, entre elas uma mastectomia, e dezenas de exames, o meu oncologista chegou à conclusão que a invasão do meu tumor era bem pequena (milímetros) e a composição dele era favorável (minha imunohistoquímica foi do bem! Ou seja, deu positivo para os receptores hormonais Estrogênio e Progesterona e negativo para a proteína HER2, o que é muito bom!). Sendo assim, eu só teria que fazer um tratamento chamado hormonioterapia, um remédio (anti-hormônio) que vou ter que tomar por 10 anos e sem muitos efeitos colaterais.

A notícia me pegou de surpresa, pois eu estava preparada psicologicamente para enfrentar uma quimioterapia, mesmo que leve. Eu tinha organizado a minha vida toda pra isso. De repente, enquanto o médico falava, eu me transportei para um outro mundo e comecei a desconstruir tudo, para recomeçar. Um recomeço bom, óbvio, maravilhoso! Confesso que levei uma meia hora para digerir a informação e, em seguida, comecei a chorar (de felicidade!).

Tá certo que muitas coisas vão ter que mudar. O cuidado continua! Não posso mais tomar anticoncepcional e não posso (e não devo) mais engravidar. Vou ter que fazer exames períódicos, mas no início do ano que vem já posso reconstruir a mama. Enfim, tenho que cuidar da minha saúde!!!!

Esse é o momento mais crucial, aquele que não posso acomodar e nem voltar para a minha vida antiga. Tenho a chance de reescrever a minha história, construir um novo futuro e ser feliz a cada segundinho.

Quero dizer que isso só foi possível graças a vocês! Meus amigos, parentes, família, meu filho, meu amor, e vocês, leitores queridos, foram fundamentais para a minha vitória. O Aventuras Maternas se tornou muito mais do que um blog, mas um objetivo de vida. Quero (queremos) expandir, crescer, ajudar, alegrar. E vocês são peça fundamental disso tudo. Vocês fazem parte dessa história e desse blog.

Por isso, obrigada por tudo!

11147117_1604087143170942_152770845048514347_n

Sobre o autor Ver todos os posts

samyleal

1 ComentárioDeixe seu comentário

  • Esta é minha filha amada. Estamos juntas nesse trajeto e confesso o orgulho que sinto da minha menina que se transformou nesta grande mulher. Foram muitas emoções vividas, convividas e compartilhadas. A cada ida ao médico uma nova noticia, esperas dúvidas medos e um turbilhão de emoções. A ultima noticia nos trouxe muito alívio. O tratamento menos invasivo. Muito desta superação devemos ao amor e união de uma família que está junta a todo o momento, junta para o que der e vier. Mas também a força das orações e energia de todos os amigos e companheiros na jornada de nossas vidas. No momento em que estamos passando por problemas difíceis, não conseguimos segurar sozinhos. por isso precisamos ser carregados no colo por aqueles que nos amam. Foi o que aconteceu. Gratidão neste momento é a palavra.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *