Aventuras Maternas

Como tratar síndrome da boca seca em crianças?

A xerostomia, também conhecida como síndrome da boca seca, pode atingir as crianças por vários motivos, como, por exemplo, desidratação, hábito de respirar pela boca, má higiene bucal, ronco. Em casos quando ocorre queda drástica da salivação, a xerostomia pode ser sinal de doenças nas glândulas salivares, de diabetes mellitus e da síndrome de Sjögren (distúrbio do sistema imunológico caracterizado por olhos secos e boca seca).

Segundo o dentista e Gerente Científico do Laboratório Gross, Maurício Moreira, existe, também, a possibilidade de ser a falta de vitaminas A e do complexo B. “Além disso, o problema pode ser um efeito colateral de certos medicamentos, como antialérgicos, diuréticos e anti-hipertensivos, da radioterapia na região da cabeça e do pescoço, ou até mesmo por estresse”, explica.

Pacientes de todas as idades correm o risco de ter xerostomia, até mesmo na infância. Por isso, a saúde bucal da criança deve ser sempre acompanhada por seus responsáveis. Caso os pais percebam que o filho fica com a boca seca constantemente, tenha dificuldade na fala, na deglutição e degustação dos alimentos, lábios sempre rachados e com aspecto mais secos e mau hálito, podem ser sinais de xerostomia. “Existem também outros sinais que podem ser avaliados pelo cirurgião-dentista para auxiliar no momento do diagnóstico. Uma saliva mais viscosa, aumento de infecções bucais e da faringe, crescimento da placa bacteriana, surgimento de úlceras na boca e alteração do paladar. Os sintomas podem envolver doenças bucais, como o aparecimento ou evolução de cárie, desenvolvimento de doença gengival e/ou periodontal, além do aumento do risco das infecções”, afirma Moreira.

Tratamentos

O tratamento para a xerostomia vai depender do que causou o problema. Se o problema for associado a medicamentos, o ideal é tentar substituí-los. A comunicação com um médico é essencial nessa tarefa.

Agora, se o motivo for a radioterapia, ou doenças sistêmicas, o profissional pode indicar o uso da saliva artificial, que ajuda a lubrificar a cavidade, como, por exemplo, o Xerolacer, do laboratório Gross. A linha de produtos Xerolacer é indicada como auxiliar diário para a higiene oral de pacientes que apresentam desconforto e ressecamento da cavidade oral. “A família de produtos Xerolacer conta com creme dental, enxaguatório bucal, spray e gel, visando suprir e auxiliar diretamente a higiene oral diária e o reestabelecimento de uma correta hidratação oral para pessoas com xerostomia. Os produtos contam com proteção anticárie, estimulantes e substitutos salivares, protetores e regeneradores teciduais e ainda uma ação antisséptica”, finaliza o Gerente Científico do Laboratório Gross.

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *