Aventuras Maternas

Gravidez e depilação: o que pode ou não fazer?

Uma das principais dúvidas da mulher quando descobre a gravidez é sobre a possibilidade de seguir com alguns procedimentos estéticos que eram rotina antes da gestação. Luzes ou tintura no cabelo, depilação e até mesmo o uso de cosméticos pode gerar preocupação nas mães, já que a jornada gestacional gera diversas transformações no corpo feminino, o que exige ainda mais cuidados com a rotina de beleza.

De acordo com a médica dermatologista consultora de Philips Judith Cavalcante, grávidas podem fazer depilação em qualquer fase da gestação. “Entretanto, escolher métodos menos agressivos para a pele se torna ainda mais importante pois as alterações hormonais da gestação levam à maior tendência de apresentar manchas em resposta a qualquer processo que deixe a pele machucada ou inflamada”, esclarece a especialista.

Segundo a médica, embora a escolha do método seja algo muito particular e a depilação esteja liberada durante toda a gestação, há métodos contra-indicados para este período como os que utilizam laser e luz, pela maior chance de hiperpigmentação da pele. “É importante evitar os métodos já testados antes da gravidez e que causaram algum tipo de irritação na pele, assim como cremes depilatórios, já que nesta fase da vida a mulher está mais propícia a alergias por alterações na imunidade. Na depilação com cera, evite o calor e o trauma de puxar excessivos, que também podem gerar escurecimento da pele”, explica a médica. Ela reforça que também é preciso redobrar a atenção com a exposição solar na área depilada, já que ela aumenta ainda mais o risco de a pele manchar.

Pensando em auxiliar as mamães na rotina de remoção dos pelos, a espelialista listou alguns cuidados básicos para o momento da depilação, garantindo a saúde da pele. Confira!

Cuidados com a pele e a depilação:

• Mantenha a pele hidratada! Use hidratante, evite banhos muito quentes e consuma de 2 a 3 litros de água por dia. A hidratação ajuda a manter a função de barreira de pele, protegendo-a de agressões.

• Não utilize lâminas ou cêra para depilar regiões que não esteja visualizando! Com o crescimento da barriga, fazer a depilação íntima sozinha com esses métodos pode gerar cortes e queimaduras.

• Deixe a pele sempre limpa! Higienize a área a ser depilada antes e depois.

• Escolha um método gentil! De acordo com a sua realidade, opte pelo método mais gentil possível, pensando na saúde da sua pele. A sensibilidade à dor é extremamente relativa e envolve aspectos culturais, além das mudanças estruturais, hormonais e emocionais. Entretanto, métodos que cortam o fio, como os aparadores elétricos são indolores e uma excelente opção para pessoas mais sensíveis.

• Higienize suas ferramentas! A higiene do método, seja ele qual for, é fundamental para evitar irritações e processos inflamatórios na depilação. Não reutilize cêra, lâminas descartáveis antigas e mantenha seu depilador elétrico sempre limpo.

• Acalme a pele! Use água termal na área depilada, pelo seu efeito calmante.

• Evite exposição ao sol! Evite sol imediatamente após a depilação e use sempre filtro solar ao se expor, para evitar queimaduras e manchas como o conhecido melasma.

A dermatologista menciona ainda que o aumento de pêlos é real durante a gestação, tanto porque ocorre menos queda, quanto porque os pêlos tendem a crescer mais rápido nesta fase. “Mas calma, isso não é definitivo e deve-se às mudanças hormonais da gestação, que passam alguns meses após o parto. Entretanto, se os pêlos te incomodam, saiba que a depilação, inclusive a íntima, está liberada durante a gravidez, desde que com os devidos cuidados, e há métodos no mercado práticos, seguros e adequados para as mais diversas preferências”, reforça.

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *