Aventuras Maternas

Manual da Gestação Segura

Dados atualizados da pandemia mostram que mais de 72 milhões de pessoas estão totalmente imunizadas, com a primeira e segunda dose da vacina contra Covid-19. Dentre os grupos de brasileiros, estão as gestantes e puérperas. De acordo com o Ministério da Saúde, 500 mil grávidas e parturientes, com comorbidades, já estão vacinadas. No entanto, segundo Renato Sá, chefe do serviço de cirurgia fetal da Perinatal  (Rede D’Or) e presidente da SGORJ, explica que ainda não é o momento de relaxar nos cuidados. “Não vale a pena arriscar, em especial porque a gravidez dura um tempo restrito, sendo mais garantido manter o isolamento social neste período”. O especialista ainda lembra que algumas grávidas por possuírem complicações clínicas, como diabetes e hipertensão, precisam estar atentas, pois nessas situações o risco aumenta com a Covid.

Mas quais os riscos efetivos de estar grávida e ser infectada pela doença? O médico expõe que o problema está no desconhecimento a médio e longo prazo para o bebê. Estudos estão sendo realizados justamente para entender qual impacto do contágio nas crianças – mas as pesquisas ainda não são conclusivas. Outro fator importante é a dificuldade de ventilar uma gestante adequadamente, caso seja necessário. As alterações fisiológicas que acontecem na gravidez como o aumento do volume do abdômen materno e o tamanho do bebê podem desfavorecer a paciente diante do procedimento. “Vale lembrar que existe uma associação da Covid com tromboses vasculares e a gestação, por si só, já tem um risco aumentado para tal”, pontua Renato.

Riscos em alta

Segundo o Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 (OOBr Covid-19), os óbitos maternos em 2021 já superaram o número notificado em 2020. Ano passado, foram 544 óbitos em gestantes e puérperas, com média semanal de 12,1 óbitos. Até 26 de maio de 2021 foram registrados 911 óbitos, com média semanal de 47,9 óbitos. Para conter a pandemia, Dr. Renato explica que a vacinação e prevenção associada ao distanciamento social continuam sendo a melhor opção, por enquanto. “É importante, o isolamento, não só da gestante, mas também das pessoas que têm contato com ela”.  As recomendações e requisitos para manter uma gravidez saudável, nesse período, continuam sendo: higienizar as mãos, usar máscara e ficar em casa.

Dicas para gestantes e puérperas por Renato Sá

– Caso recomendada pelo médico, tomar a vacina;

– Higienizar as mãos sempre;

– Usar máscara;

– Ficar em casa, se possível;

– Realizar os exames do pré-natal;

– Evitar contato com pessoas que se expõem;

– A família da gestante deve zelar por sua saúde para que não tragam o vírus até ela;

– O aleitamento materno continua sendo recomendado, por seus inúmeros benefícios;

– Caso esteja com Covid, não fazer uso de nenhum medicamento sem prescrição médica. O único tratamento que existe no momento é o tratamento de suporte;

– Havendo suspeita de que um bebê tenha contraído Covid o melhor a fazer é entrar em contato com o pediatra. A testagem é idêntica a de um adulto: faz-se a pesquisa de PCR para Covid em secreção de nasofaringe através de swab nasal. 

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *