Aventuras Maternas

5 dicas para ajudar jovens com TDAH a estudarem para o ENEM

Nos dias 21 e 28 de novembro, os estudantes brasileiros farão as provas do ENEM 2021, pelo menos uma parte deles, já que serão dois grupos. 

Manter a concentração e o controle da ansiedade neste período é tarefa difícil para todos e pode ser mais complicado para jovens com TDAH, um transtorno do neurodesenvolvimento que é caracterizado por um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfere no funcionamento e no desenvolvimento da pessoa.

Para ajudar a criar uma rotina de estudos, a neuropsicóloga Bárbara Calmeto, diretora do Autonomia Instituto, sugere cinco estratégias:

  1. Crie uma rotina de estudo: manter uma certa rotina é muito importante para que o jovem se organize no tempo. Crie um cronograma de estudos e cumpra todos os dias no mesmo horário, pela mesma quantidade de horas e no mesmo local. Uma boa dica é observar os horários em que está mais atento, disponível e tranquilo e delimitar como blocos de atividades e revisões. Intercale as horas de estudo, com pausas para descanso e faça um lanche ou converse com amigos, como estratégia para eliminar o tédio;
  2. Evite distrações: escolha locais com poucos distratores como janelas e portas. Dê preferências a ambientes iluminados, tranquilos e sem ruídos ou falatórios. Organize a rotina de maneira que no horário de estudo a casa esteja o mais silenciosa possível. No momento do estudo, celulares, televisões, computadores etc devem ser desligados. Os dispositivos eletrônicos desviam a atenção do estudante e atrapalham a concentração. Lembre-se que uma mosca pode tirar a concentração, então, tente controlar os distratores que estão ao seu alcance;
  3. Inclua atividades concretas e dinâmicas: Ficar muito tempo parado pode ser uma tortura para quem tem o transtorno. Logo, uma boa forma de superar obstáculos durante o aprendizado é incluir processos dinâmicos na rotina. Escreva ou desenhe para deixar mais visual, abuse de recursos como gráficos, imagens, listas, cores diferentes (marca textos), vídeos educativos, atividades práticas etc. Com essas estratégias, será possível associar o conteúdo teórico com a experiência prática vivenciada. Nos intervalos, faça atividades motoras e físicas, artísticas ou livres; reveze estudo com outras atividades que envolvam a manipulação de materiais; use técnicas de memorização associadas a gestos, grave vídeos “dando aula” sobre alguns assuntos como se estivesse ensinando pra si mesmo. Pequenas mudanças, até mesmo posturais, ajudam a retomar o foco;
  4. Metas diárias: Disciplina é crucial para ajudar a definir objetivos e encontrar uma forma de lembrar deles a todo momento. Vale fazer anotações nos cadernos com post-its ou instalar aplicativos no celular com metas para cada horário de estudo.O importante é manter esta prática diariamente, refletindo sobre o que precisa ser feito e anotando cada detalhe no local que funcionar melhor. A prática permanente funciona como um estímulo extra para o cérebro, permitindo que as tarefas e os compromissos fiquem sempre frescos na mente;
  5. Autoconfiança: É fundamental que o estudante acredite no seu potencial e busque ajuda terapêutica, quando necessário. Afinal, o Déficit de Atenção não limita suas habilidades e capacidades e tem todas as possibilidades de conquistar a vaga na universidade que tanto deseja.

Dica extra: Para melhorar a autoconfiança, uma ótima estratégia é fazer exercícios e atividades que estimulem a concentração, como jogo da memória, tabuleiro, quebra-cabeça ou cartas, da forma como preferir. O importante é acreditar no próprio potencial de manter foco e atenção, com o objetivo de vencer os obstáculos tanto nos jogos quanto na vida acadêmica.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *