Aventuras Maternas

O coronavírus na gestação

O COVID-19 (coronavírus) chegou ao Brasil rapidamente e está preocupando também as gestantes. Segundo o estudo publicado na revista Frontiers in Pedatrics e em conformidadecom aComissão de Infecção da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), ainda não há comprovação de que o vírus passe da mãe para o bebê. Com base nos casos de mães que foram infectadas na China, os pesquisadores descobriram que o vírus não foi transmitido para os recém-nascidos durante a gravidez.

“Ainda não há casos suficientes para que os pesquisadores possam fazer afirmações, porém, é importante que a gestante siga as orientações básicas de prevenção”, comenta Personal Home especialista em Baby Planner Elaine Gouvêa.

Como parte das medidas de prevenção, a Baby Planner enfatiza alguns cuidados que a gestante pode intensificar neste período. “A gestação é uma fase na qual é necessário ter mais cuidados, e a mulher pode apresentar queda na imunidade, o que inspira uma maior atenção”.

As dicas são:

  1. Lavar as mãos com frequência e eficácia, usando água e sabonete por pelo menos 20 segundos. O processo de lavagem das mãos deve abranger as áreas entre os dedos, embaixo das unhas e o antebraço. E, se não houver água e sabonete, usar álcool em gel.
  2. Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  3. Evitar locais aglomerados ou de grande circulação. Se isto ocorrer, lavar as mãos assim que possível.
  4. A gestante deve evitar viagens até que as instituições competentes tenham informações mais precisas sobre o contágio, sintomas e riscos para a mamãe e o bebê.
  5. Se houver algum sintoma suspeito, o ideal é que a gestante avise seu obstetra para seguir as orientações do especialista. Não é recomendável correr para o pronto atendimento sem necessidade, isto pode proporcionar mais riscos de contaminação, desta e de várias outras doenças.
  6. O vírus pode apresentar sintomas como febre acima de 37º, tosse com ou sem secreção, dificuldade respiratória aguda, insuficiência renal, dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta e diarreia, indo do estágio mais leve até o mais grave.

Já, referente às lactantes, segundo especialistas, a transmissão do coronavírus é respiratória e não pelo sangue. E mesmo as mães com suspeita da doença podem amamentar, desde que tomem cuidados como lavar as mãos e colocar a máscara.

“Lembrando que toda atenção é necessária até que tenhamos mais informações e que a epidemia seja controlada”, finaliza a Personal Home especialista em Baby Planner Elaine Gouvêa.

EM TEMPO – Até o momento a FEBRASGO e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) afirmam que a amamentação pode ser realizada por mães que foram diagnosticadas com o coronavírus, porém, elas devem lavar as mãos de acordo com as recomendações e também, devem usar a máscara cirúrgica para evitar a transmissão do vírus.

Os órgãos competentes estão acompanhando as pesquisas mundiais, referentes à possibilidade de transmissão e entendem que até o momento, o benefício da amamentação supera o risco.

Informações: Assessoria de Imprensa.

Sobre o autor Ver todos os posts

Priscila Correia

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *